Leia também:
X Lula avalia participar de atos contra Bolsonaro no sábado

CPI nega convocação de Carlos Gabas para prestar depoimento

Parlamentares queriam investigar a compra de 300 ventiladores clínicos de UTI pelo Consórcio Nordeste

Paulo Moura - 16/06/2021 11h14 | atualizado em 16/06/2021 11h57

Carlos Gabas Foto: Geraldo Magela/Agência Senado

A CPI da Covid rejeitou nesta quarta-feira (16) a convocação do ex-secretário Executivo do Consórcio Nordeste, Carlos Eduardo Gabas, por seis votos a quatro. O requerimento para convocar Gabas foi apresentado pelos senadores Eduardo Girão (Podemos-CE), Marcos Rogério (DEM-RO) e Ciro Nogueira (PP-PI).

Os parlamentares queriam investigar a compra de 300 ventiladores clínicos de UTI pelo Consórcio Nordeste junto à empresa Hempcare. No entanto, a maioria dos integrantes da comissão, que são de oposição ou se declaram independentes ao governo (chamados de G-7), rejeitaram chamar o ex-secretário.

– Tal compra, que foi alvo da chamada Operação Ragnarok, da Polícia Civil da Bahia, custou mais de 48 milhões de reais ao erário, pagos antecipadamente, e os equipamentos nunca foram entregues – afirmou Girão no pedido de convocação.

Nas discussões, os parlamentares do G-7 sugeriram ouvir, sobre o caso, quem atualmente comanda o Consórcio Nordeste, mas a sugestão foi negada. Os senadores aprovaram a convocação do representante da Janssen no Brasil, de dois deputados estaduais do Amazonas, Fausto Júnior e Péricles Nascimento, e do sócio da Precisa Medicamentos, Emerson Maximiano.

Leia também1 Lula avalia participar de atos contra Bolsonaro no sábado
2 Assista! CPI ouve Wilson Witzel, ex-governador do Rio de Janeiro
3 CPI aprova quebra de sigilo fiscal e telefônico de Carlos Wizard
4 'A princípio, vamos esclarecer tudo na CPI', diz Wilson Witzel
5 Casos globais de Covid-19 caíram 12% na última semana, diz OMS

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.