Leia também:
X Em vídeo, Bolsonaro agradece Rússia por libertar brasileiro

CPI é tribunal de guerra durante a guerra à Covid, afirma Guedes

Ministro da Economia mostrou preocupação com o andamento das reformas no país

Henrique Gimenes - 02/05/2021 14h21 | atualizado em 02/05/2021 15h54

Ministro da Economia, Paulo Guedes Foto: Agência Brasil/Fabio Rodrigues Pozzebom

Em entrevista concedida ao jornal O Globo publicada neste domingo (2), o ministro da Economia, Paulo Guedes, falou sobre a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19. Ele disse que se for convocado será a décima vez que irá ao Congresso durante a pandemia e ressaltou que a população brasileira está mais preocupada em resolver problemas.

Para ele, a “CPI é parte do jogo democrático”, mas o povo quer a “preservação da vida e dos empregos”.

– Estamos em meio à pandemia. Isso é equivalente a fazer um tribunal de guerra durante a guerra contra o vírus. Para mim, é inédito. Você acha que a classe política vai sair bem disso? Foi o que eu sempre falei: subir em cadáveres para fazer política numa hora dessas… Acho que a população brasileira não vai apreciar isso. Ela quer resolver o problema. Ela quer a preservação da vida e dos empregos – afirmou.

Ao ser questionado sobre a possibilidade da comissão “corrigir” os rumos do combate à pandemia, ele disse que o Brasil tem um “desafio difícil” pela frente e mostrou preocupação com o andamento das reformas.

– Eu acho que levantar o tema, de que nós vamos fazer uma CPI, já estimularia a correção de rumos. Temos um desafio difícil pela frente: evitar que a politização da crise piore a gestão da crise. Vacinação em massa e reformas é o ganha-ganha. Acho que precisa desse equilíbrio: de um lado, vamos fazer a CPI que eles acharem que é oportuno fazer, mas, por outro, não paralisem as reformas – destacou.

O ministro também falou sobre um comentário feito em relação à China na semana passada, quando afirmou que os chineses “criaram” a Covid-19 e produziam vacinas menos eficazes que os Estados Unidos. Guedes disse que sua declaração criou um ruído, mas negou qualquer movimento contra a China.

– Desde o início do governo, falei que o Brasil ia dançar com todo mundo. Nunca houve movimento meu contra a China. Eu considero aquele comentário meu dentro de um contexto. Eu quis dar o exemplo de quando a economia de mercado é forte e robusta, ela consegue se adaptar em pouco menos de um ano e criar uma vacina ainda mais eficiente do que as vacinas produzidas na própria região que está muito mais habituada a esse tipo de doença. Aí desvirtuam tudo. Eu, aliás, tomei a CoronaVac – apontou.

Leia também1 Secretário do governo diz que '2021 é o ano das privatizações'
2 Marcelo Freixo distorce fala de Guedes para atacar o ministro
3 Reforma tributária será fatiada em 4 etapas, diz líder governista
4 Guedes: Governo é "apedrejado" enquanto tenta "fazer o melhor"
5 Guedes diz que foi 'infeliz' em comentário sobre China

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.