Leia também:
X Mourão critica Mandetta por entrevista: “Uma falta grave”

Coppolla critica posição de Mandetta sobre quarentena

Comentarista afirmou que o ministro tem acreditado em uma ciência "politizada"

Paulo Moura - 14/04/2020 15h24 | atualizado em 14/04/2020 15h32

Caio Coppolla criticou a decisão de Mandetta em manter a quarentena Foto: Reprodução

O comentarista da CNN Brasil, Caio Coppolla, criticou o posicionamento do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, de manter o isolamento durante a pandemia de coronavírus. A fala de Coppolla aconteceu durante a edição do Grande Debate exibida na segunda-feira (13).

No programa, que discutiu se a população deveria seguir o posicionamento do presidente Jair Bolsonaro ou do ministro Mandetta, Caio afirmou que o chefe da pasta de Saúde acredita em uma ciência que foi “politizada” e que “não tem evidências irrefutáveis de que parar a vida econômica pode parar o contágio em massa”.

O comentarista também criticou as incoerências entre o que é dito e o que é feito pelo ministro. Como exemplo, Coppolla questionou o fato de Mandetta dizer, em uma entrevista, que conseguiu evitar o contágio dos servidores do Ministério da Saúde através da distância mantida entre eles, mas que insiste em não permitir que as empresas voltem a funcionar, usando a mesma estratégia.

– Se o próprio Ministério da Saúde preveniu o contágio de 100% da sua equipe com medidas simples de distanciamento social, por que não aplicar esse mesmo protocolo, com prudência, em empresas, indústria, comércio, especialmente naqueles municípios pouco afetados pela pandemia – questionou.

https://www.instagram.com/tv/B-99Ob8npgW/?igshid=vx8h76ngp9ge

Por fim, Coppolla citou o fato de que a Organização Mundial da Saúde, que vem sendo usada como regra pelo ministério e pelos estados, já se equivocou em outros momentos quando permitiu viagens pelo mundo e disse que o uso de máscaras não era necessário.

– Ele [Tedros Adhanom, diretor-geral da OMS] chegou a falar que o vírus não era transmitido pelo ar, repetindo uma sabida fake news, demorou a aceitar a ideia de uma pandemia e, o mais absurdo, aceita os dados da ditadura chinesa [sobre os casos de Covid-19] – completou.

Leia também1 Caio Coppolla explica a forte oposição ao uso da cloroquina
2 Repórter explica por que CNN interrompeu médico ao vivo
3 Coppola pontua hipocrisia de quem defende isolamento

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.