Leia também:
X Comerciantes no Rio fazem ato por volta do comércio

Conheça os quatro candidatos ao Ministério da Saúde

De general a psiquiatra, nomes reúnem fortes currículos para assumir a chefia da pasta

Paulo Moura - 19/05/2020 14h53 | atualizado em 19/05/2020 15h08

Candidatos ao cargo de ministro da Saúde Foto: Reprodução

Após Nelson Teich deixar o cargo de ministro da Saúde, na última sexta-feira (15), a chefia da pasta sob maior pressão no cenário de pandemia de Covid-19 voltou a ficar vago, e nomes começaram a surgir como candidatos.

Quem fica no cargo interinamente é o general Eduardo Pazuello, que desde o dia 22 de abril ocupava o cargo de secretário-executivo do ministério. Ele deve ser o responsável, inclusive, pela autorização do novo protocolo da hidroxicloroquina que vai liberar o uso do fármaco a pacientes com sintomas leves.

Diante da nova indefinição, surgem nomes cotados para assumir a função, uns bastante conhecidos, como o ex-ministro da Cidadania, Osmar Terra, e outros que surgiram diante do momento de pandemia, como a oncologista Nise Yamaguchi.

Confira abaixo alguns dos nomes que aparecem como favoritos para assumir o comando do Ministério da Saúde (MS):

GENERAL EDUARDO PAZUELLO

General Eduardo Pazuello Foto: Agência Brasil/Valter Campanato

Até a saída de Teich, Pazuello ocupava o cargo número 2 do Ministério da Saúde. Apesar do pouco tempo na função de secretário-executivo, o general recebeu elogios do ex-ministro Teich por sua experiência em logística, setor do ministério que tem sido bastante exigido.

Pazuello foi um nome levado a Bolsonaro pelo grupo de generais ministros do Palácio do Planalto, em especial o chefe do GSI (Gabinete de Segurança Institucional), Augusto Heleno.

Assim como Bolsonaro, o general de divisão Eduardo Pazuello passou pela Aman (Academia Militar das Agulhas Negras), em Resende, Rio de Janeiro. Foi na academia que, em 1984, formou-se como oficial de intendência, a área de logística do Exército.

Segundo a revista Veja, o presidente já teria feito o convite ao número do 2 do MS que, por sua vez, teria aceitado o convite para o cargo de ministro. Por enquanto, ele segue como interino.

NISE YAMAGUCHI

Nise Yamaguchi Foto: Reprodução

A oncologista de 58 anos tem a seu favor o alinhamento com alguns pontos defendidos por Bolsonaro no combate ao coronavírus, entre eles o uso precoce da hidroxicloroquina e o chamado isolamento vertical, quando são colocados em quarentena apenas os integrantes dos grupos de risco.

Em abril, Nise se reuniu com Bolsonaro, que manifestou a ela o desejo de liberar o medicamento. Após o encontro entre os dois, o chefe do Executivo convidou a médica para integrar o gabinete de crise no combate ao vírus. Nesta sexta, a médica voltou a se reunir com o presidente após a saída de Teich.

A oncologista, que é diretora do Instituto Avanços em Medicina, em São Paulo, é formada em medicina pela USP e fez residência em clínica médica e imunologia no Hospital das Clínicas (HC). Ela é médica voluntária do Instituto da Criança do HC. Ela também atende no Hospital Israelita Albert Einstein.

OSMAR TERRA

Osmar Terra Foto: Agência Brasil/Valter Campanato

O terceiro, e mais conhecido dos candidatos, é o ex-ministro da Cidadania, Osmar Terra, que é médico e desde o início da quarentena tem feito diversas postagens nas redes sociais defendendo o isolamento apenas para idosos e grupos de risco, tese compartilhada por Bolsonaro.

Filiado ao MDB, Terra já foi prefeito de Santa Rosa (RS) e secretário de saúde no governo do Rio Grande do Sul durante o período de enfrentamento ao vírus H1N1.

No governo do ex-presidente Michel Temer, Terra assumiu o Ministério do Desenvolvimento Social e foi escolhido por Bolsonaro como ministro da Cidadania, no início da gestão.

Em fevereiro de 2020, Terra foi substituído por Onyx Lorenzoni e voltou à Câmara onde ocupa o terceiro mandato como deputado federal.

ÍTALO MARSILI

Dr. Italo Marsili é médico psiquiatra Foto: Reprodução

O psiquiatra Italo Marsili surgiu recentemente como um dos nomes favoritos pelos apoiadores do presidente Jair Bolsonaro ao cargo. Recentemente, ele se mostrou interessado em assumir o cargo e disse que o país precisa de “alguém com personalidade, que não fuja do combate” e que “enfrente a mídia”.

Além de psiquiatra, Marsili já foi médico do Exército Brasileiro. Ele é autor de dois livros e atua também como influenciador digital. Ele é formado pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e possui mestrado pela Universidade de Navarra, na Espanha.

O médico também tem a seu favor o fato de receber o apoio dos filhos do presidente e do filósofo Olavo de Carvalho. Marsili, inclusive, já chegou a participar do curso de filosofia de Olavo, conforme consta em seu currículo no Linkedin.

Leia também1 Nova regra deve liberar uso da cloroquina em pacientes leves
2 Pazuello escolhe coronel como n° 2 do Ministério da Saúde
3 Secretário demitido por Witzel é nomeado em nova função

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.