CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Mãe descobre ao vivo que a filha foi assassinada

Comissão de Ética arquiva denúncia sobre Wajngarten

Ele havia sido denunciado por ser acionista de uma empresa que presta serviço a agências e emissoras que tinham contrato com o governo

Henrique Gimenes - 18/02/2020 15h50 | atualizado em 18/02/2020 16h50

Fabio Wajngarten Foto: Agência Brasil/Marcelo Camargo

Nesta terça-feira (18), a Comissão de Ética da Presidência da República analisou um processo relativo ao chefe da Secretaria Especial de Comunicação Social (Secom), Fabio Wajngarten. Por quatro votos a dois, os conselheiros decidiram arquivar o caso.

Wajngarten havia sido denunciado por ser acionista de uma empresa que presta serviço a agências e emissoras que tinham contrato com o governo. O caso teve por base reportagens do jornal Folha de S.Paulo.

De acordo com o presidente da Comissão, Paulo Henrique dos Santos Lucon, o processo pode voltar a ser investigado caso surjam novos fatos.

Após o arquivamento, a Secom divulgou uma nota afirmando que “não há conflito de interesses entre a atuação do Secretário e a sua empresa”. Além disso, a secretaria ainda apontou que a “denúncia arquivada é um atestado de idoneidade a ele”.

Leia a nota completa:

A decisão da Comissão de Ética Pública da Presidência da República é um marco na defesa do Secretário de Comunicação Fábio Wajngarten.

Reduz a insidiosa campanha promovida por um jornal ao seu lugar, apenas um permanente acinte de calúnias e difamações que se revelaram infrutíferas, apesar da implacável campanha diária.

Ficou comprovado, com a decisão da Comissão de Ética Pública da Presidência da República, de que não há conflito de interesses entre a atuação do Secretário e a sua empresa. E que nenhum grupo econômico do setor foi favorecido pelos atos administrativos do Secretário de Comunicação.

Prevaleceu a verdade e o bom senso. Não há nada de aético ou ilegal na atuação do Secretário Fábio Wajngarten, à frente da Secretaria de Comunicação. A denúncia arquivada é um atestado de idoneidade a ele.

O Secretário de Comunicação continua confiante de que em outros fóruns aonde as supostas denúncias são objeto de apuração, a conclusão será a mesma porque elas não encontram respaldo na realidade.

Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República.

Leia também1 Alexandre Garcia pode chefiar a Secretaria de Comunicação
2 PF abre inquérito para investigar Fabio Wajngarten


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo