Leia também:
X Terceira via poderá ter ‘prévias’ para escolher candidato único

Com 18 votos, CCJ aprova o nome de André Mendonça para o STF

A indicação do presidente Jair Bolsonaro agora será analisada pelo plenário da Casa, que dará a palavra final

Henrique Gimenes - 01/12/2021 17h27 | atualizado em 01/12/2021 17h54

André Mendonça foi indicado pelo presidente Jair Bolsonaro para uma vaga no STF Foto: PR/Carolina Antunes

Nesta quarta-feira (1º), a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado analisou o nome de André Mendonça para uma vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). E por 18 votos a 9, os senadores aprovaram a indicação feita pelo presidente Jair Bolsonaro.

Ex-advogado-geral da União, Mendonça foi indicado por Bolsonaro em julho para ocupar a vaga deixada pelo ministro Marco Aurélio de Mello no STF. Ele, no entanto, acabou tendo que esperar meses pela sabatina, já que o presidente da CCJ, Davi Alcolumbre (DEM-AP), recusava-se a marcar a data. Mas, na semana passada, o parlamentar acabou cedendo.

Antes da votação, André Mendonça fez suas considerações finais, agradeceu aos senadores e também a todos os cristãos e não cristãos que contribuíram para sua sabatina.

– Caso eu seja aprovado, meu gabinete [no STF] estará aberto a todos para a construção de um Brasil melhor – destacou.

Apesar do resultado, Mendonça ainda não está garantido no STF. O nome dele ainda será apreciado pelo plenário do Senado, que ficará responsável por dar a palavra final.

Para assumir a vaga, André Mendonça precisa do apoio de 41 dos 81 senadores.

Leia também1 Malafaia diz que Alcolumbre faz “jogo sujo” contra Mendonça
2 Deputadas do PT pedem votos para Mendonça no Senado
3 Mendonça 'acatará' casamento civil de pessoas do mesmo sexo
4 Frente Evangélica realiza culto por indicação de Mendonça
5 Mendonça assume compromisso com Estado laico e democracia

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.