Leia também:
X Suspeito de estuprar enteada de 2 anos é espancado por vizinhos

Collor: Com Lula e Bolsonaro, ‘3ª via’ vai ser triturada em 2022

Ex-presidente afirma ‘polarização já está posta’ após petista se tornar apto a disputar eleições

Gabriela Doria - 20/04/2021 16h07 | atualizado em 20/04/2021 16h22

Senador Fernando Collor de Mello fez análise sobre “terceira via” para 2022 Foto: Agência Senado/Lia de Paula

Na avaliação do senador Fernando Collor de Mello (PROS-AL), a retomada dos direitos políticos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e sua provável candidatura no ano que vem, na prática, acaba com a possibilidade haver a chamada “terceira via” entre Bolsonaro e o petista.

Em entrevista ao jornal Estadão, o ex-presidente Collor afirmou que qualquer candidatura de centro será “triturada” pela polarização entre Jair Bolsonaro e Lula.

– Terceira via existe na literatura. Na prática política, isso não existe. Sobretudo agora, com a possibilidade de elegibilidade do ex-presidente Lula, claramente a polarização já está posta: o PT, com o seu candidato (no caso, o Lula), e o candidato à reeleição, que é o presidente Bolsonaro. Terceira via vai ser moída. Se essas duas forças estiverem se contrapondo em 2022, qualquer candidatura que se imiscua entre eles vai ser triturada. Quem pensar em terceira via é “um sonho de uma noite de verão” – analisou.

Collor também declarou apoio a Bolsonaro e afirmou que o chamado Centrão está ao lado do presidente .

– O Centrão já marcou sua posição. Não vejo como o Centrão sair da posição em que ele se encontra. Mas, daqui para a eleição de 2022, é uma eternidade. Muita coisa pode acontecer. Com base no que hoje temos em mão para analisar, o Centrão está perfeitamente afinado com o presidente da República e vem dando demonstrações inequívocas disso – apontou.

No entanto, Collor foi taxativo ao defender que as condenações de Lula na Lava Jato foram injustas.

– O ex-juiz Sérgio Moro foi um crápula no comportamento em relação ao ex-presidente Lula. As conversas vazadas demonstram que o comportamento dele foi de um personagem como esse – declarou.

Leia também1 Aos 67 anos, Cármen Lúcia é a 6ª ministra do STF a ser vacinada
2 Braga Netto: 'É preciso respeitar o projeto escolhido pela maioria'
3 STF pede explicação a Bolsonaro em ação sobre "ataques" à mídia
4 Lira inclui à pauta da Câmara a privatização dos Correios
5 Feliciano expõe contradições da chefe da Capes e cobra governo

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.