Leia também:
X Petrobras explica por que não reduz preços dos combustíveis

Ciro descarta aliança com Moro e Doria: “Viúvas de Bolsonaro”

Pedetista afirmou estar dialogando com o União Brasil

Thamirys Andrade - 18/03/2022 16h17 | atualizado em 18/03/2022 16h44

Ciro Gomes Foto: José Cruz/Agência Brasil

O pré-candidato à Presidência da República, Ciro Gomes (PDT), admitiu estar dialogando com outros espectros políticos para a construção de uma alternativa ao presidente Jair Bolsonaro (PL) e ao ex-presidente Lula (PT) nas eleições deste ano. O pedetista afirma ter mantido conversas com o União Brasil e o PSD. Ele descarta, porém, uma aliança com aqueles que chama de “viúvas de Bolsonaro”: Sergio Moro e João Doria.

– Nós apoiamos o [Alexandre] Kalil, por exemplo, em Belo Horizonte, e [ACM] Neto em Salvador, de maneira que esse desdobramento está acontecendo porque eu quero ver se me reúno com todas as “não viúvas” do Bolsonaro, que a imprensa de São Paulo chama de terceira via. Eu não tenho nada a ver com [Sergio] Moro e com [João] Doria, que são as viúvas de Bolsonaro. Eu estou em outra – destacou Ciro Gomes em entrevista à rádio Tiradentes.

Tanto Moro (Podemos) quanto Doria (PSDB) são ex-aliados do atual presidente. O ex-juiz da Lava Jato foi ministro da Justiça do líder do Planalto, mas deixou o governo acusando Bolsonaro de interferência na Polícia Federal.

O governador de São Paulo, por sua vez, vinculou seu discurso a Bolsonaro em 2018, chegando a utilizar o nome “BolsoDoria” durante a campanha eleitoral. Ele se afastou do presidente devido a divergências de gestão na pandemia.

De acordo com Ciro Gomes, a decisão sobre um possível apoio entre o PDT e o União Brasil só deve ser concretizada no mês de julho.

– Nossa imprensa, naturalmente, cumprindo o seu papel, tenta antecipar o que só acontecerá em julho. Por quê? Por que todo mundo quer ver mais ou menos, com o mínimo de risco, o que vai acontecer na opinião pública que gradualmente vai se ligando no assunto eleições – explicou.

Leia também1 Alexandre de Moraes proíbe o Telegram de funcionar no Brasil
2 "O Brasil sofre uma crise de planejamento”, afirma Pacheco
3 André Mendonça é eleito para ministro substituto do TSE
4 Sem avanço por terra, Rússia ataca a distância e atinge civis
5 Lula faz exames em hospital antes de decidir se "vai às ruas"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.