Leia também:
X Após polêmica, Chico Rodrigues pede para deixar vice-liderança

“Chico Rodrigues me bateu o quanto pôde”, afirma Weintraub

Ex-ministro da Educação falou sobre caso envolvendo o agora ex-vice-líder do governo no Senado

Paulo Moura - 15/10/2020 13h29 | atualizado em 15/10/2020 14h25

Ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub Foto: PR/Casa Civil

O ex-ministro da Educação, Abraham Weintraub, comentou o fato envolvendo o senador Chico Rodrigues (DEM-RR), agora ex-vice-líder do governo no Senado, que foi flagrado escondendo R$ 30 mil na cueca durante uma operação da Polícia Federal. Em uma postagem nas redes sociais, o ex-ministro disse que foi muito atacado pelo parlamentar.

– Não vou fazer piada! Estou falando sério! E vejam que o Senador Chico, líder do Governo, me bateu o quanto pôde. O fato é que eu encontrei muita gente bem pior que ele em Brasília. Dinheiro no r*** é ridículo e nojento. Nosso problema é justamente com quem não é ridículo – escreveu.

Weintraub comentou fato envolvendo Chico Rodrigues Foto: Reprodução

Junto com a mensagem, Weintraub inseriu imagens de notícias veiculadas durante o período em que ocupou a chefia da Educação no governo federal. Nelas, Rodrigues aparecia como forte crítico do trabalho do ministro, chegando até em certo ponto a dizer que “a cota de Weintraub” teria estourado.

Chico Rodrigues pediu para deixar o cargo de vice-líder do governo no Senado após ser flagrado tentando esconder dinheiro na cueca durante uma operação realizada pela Polícia Federal (PF) com apoio da Controladoria Geral da União (CGU), que buscou desmantelar um esquema milionário de desvio de recursos públicos que deveriam ter ido para o combate ao coronavírus.

Leia também1 Após polêmica, Chico Rodrigues pede para deixar vice-liderança
2 Bolsonaro parabeniza operação que achou dinheiro na cueca
3 PF encontra dinheiro na cueca do senador Chico Rodrigues

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.