Leia também:
X Afastamento de Aécio Neves volta a ser votado no Senado

CCJ retoma análise do parecer da 2ª denúncia contra Temer

Deputados continuam discutindo o parecer que pede pelo arquivamento da acusação

Camille Dornelles - 17/10/2017 09h00 | atualizado em 18/10/2017 17h40

Parecer sobre denúncia contra Michel Temer é votado na CCJ Foto: Agência Brasil/Lula Marques

A Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados se reuniu nesta terça-feira (17) para analisar o parecer do deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) a respeito da segunda denúncia contra o presidente Michel Temer. Após a ordem do dia no plenário da casa, a sessão foi suspensa, sendo retomada logo após o encerramento. Os deputados continuam discutindo o parecer.

Em seu relatório, o deputado Bonifácio, relator do caso, pediu que a Câmara rejeite e arquive a acusação contra Temer por obstrução de justiça e, juntamente com o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, e com o ministro da Secretaria-Geral da Presidência da República, Moreira Franco, de organização criminosa.

O texto, no caso de ser aprovado na CCJ, será enviado para votação no plenário da Câmara. No caso de ser rejeitado, um novo relator será escolhido entre os que votaram contra o relatório, que dará seu novo parecer para ser novamente julgado na CCJ. O plenário da casa então irá realizar a votação do relatório.

Caso a denúncia da PGR seja aceita por todos os deputados, o STF poderá então prosseguir com as investigações contra o presidente. Michel Temer permaneceria afastado do mandato por até 180 dias. Caso a denúncia não seja aceita, será arquivada até o final do mandato do presidente.

Nesta terça a CCJ ouviu 47 deputados, mas até 172 podem se pronunciar. Após todas as considerações individuais, o deputado Bonifácio de Andrada e os advogados de defesa dos acusados têm direito a réplicas. A pauta termina com a votação do relatório.

O presidente da CCJ, Rodrigo Pacheco (PMDB), estima que o assunto se estenderá por mais de uma sessão, da mesma forma como foi com a primeira denúncia do presidente, sobre corrupção passiva.

A sessão começou às 10h30, sendo que os deputados começaram a chegar já às 7h.

*Atualizada às 20h16

LEIA TAMBÉM
+ Temer diz ver ‘conspiração’ para tirá-lo da Presidência
+ Defesa vai pedir anulação do impeachment de Dilma
+ PF investiga o deputado Lúcio Vieira Lima, irmão de Geddel

Siga-nos nas nossas redes!
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.