CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Sara Winter usa livros de Moraes como “pé” de sofá

Bolsonaro vê “inadequações” em currículo de Decotelli

Ainda assim, presidente diz que indicado é capacitado para o cargo

Pleno.News - 29/06/2020 21h25

Presidente Jair Bolsonaro vê “inadequações” em currículo de Carlos Alberto Decotelli Foto: PR/Isac Nóbrega

Após encontro com o presidente Jair Bolsonaro, o ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli​, negou que tenha cometido plágio em dissertação de mestrado e disse que continua à frente do cargo. Em seguida, Bolsonaro escreveu em rede social que “por inadequações curriculares o professor vem enfrentando todas as formas de deslegitimação para o ministério”.

– O Sr. Decotelli não pretende ser um problema para a sua pasta (Governo), bem como, está ciente de seu equívoco. Todos aqueles que conviveram com ele comprovam sua capacidade para construir uma Educação inclusiva e de oportunidades para todos – afirmou.

Apesar das declarações que indicam apoio ao ministro, o presidente pediu nesta segunda-feira (29) a deputados e assessores indicações de nomes para substitui-lo.

Em entrevista, na frente do Ministério da Educação, o ministro não disse para quando será remarcada a cerimônia de posse, que foi suspensa nesta segunda-feira (29). Afirmou que essa é uma questão de protocolo da Presidência da República.

– Eu sou ministro e tenho trabalhos agora. Vou ficar até de noite sabe para quê? Para tentar corrigir os ajustes de Enem e de Sisu. E das demandas grandes – disse Decotelli​ no início desta noite.

Segundo ele, na audiência no Palácio do Planalto, Bolsonaro o questionou sobre inconsistências em seu currículo.

– Não houve plágio, porque o plágio é considerado quando o senhor faz Cltr C e Cltr V. Não foi isso [que aconteceu]. No mestrado, não houve plágio – ressaltou.

O ministro reconheceu que se referiu em seu trabalho de mestrado na FGV (Fundação Getulio Vargas) a trechos de um relatório da CVM (Comissão de Valores Mobiliários), mas que respeitou o percentual permitido de citações.

– [Houve] em um percentual que poderia ter sido feito no que estava na informação do relatório técnico. Quanto você pode fazer em um trabalho de citação em termos de caracterizar se houve plágio ou não? Isso varia de acordo com a entidade da validação – disse.​

Apesar de já ter pedido sugestões, o presidente sinalizou que só irá oficializar uma troca quando for concluído pente-fino feito pela Abin (Agência Brasileira de Inteligência) no currículo de Decotelli.

A nomeação de Decotelli foi publicada em edição extra do Diário Oficial da União na quinta-feira (25), após anúncio feito pelo presidente.
O governo planejava uma solenidade de posse nesta terça-feira (30), mas a realização do evento foi adiada.

A nova análise no currículo do ministro, ordenada por Bolsonaro, serve para apurar se há mais inconsistências. O próprio Decotelli demonstrou nesta segunda preocupação com sua permanência e identificou perseguição da imprensa. A reportagem solicitou entrevista com o ministro, mas não obteve retorno.

*Folhapress

Leia também1 Decotelli explica doutorado e diz que seguirá no MEC
2 #GoBolsonaroMundial: Web reforça apoio ao presidente
3 "Nas convicções da Bíblia, eu acredito", afirma Decotelli
4 MEC denuncia perfis falsos se passando por novo ministro
5 Weintraub deseja boa sorte ao novo ministro da Educação

Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo