Leia também:
X Twitter derruba perfis que vendiam remédios abortivos

Bolsonaro sobre início em Juiz de Fora: “Onde tentaram nos parar”

Presidente discursou no mesmo local onde levou uma facada em 2018

Gabriel Mansur - 16/08/2022 18h02 | atualizado em 17/08/2022 09h43

O primeiro ato da campanha do presidente Jair Bolsonaro à reeleição para a Presidência da República ocorreu nesta terça-feira (16), no município de Juiz de Fora, em Minas Gerais. O ato foi repleto de simbolismo. O candidato, inclusive, discursou por cerca de 11 minutos no mesmo ponto onde, em 6 de setembro de 2018, foi vítima de uma facada desferida por Adélio Bispo de Oliveira, também em ato de campanha. Ele também relembrou o atentado do qual foi vítima.

– Estamos dando a largada de onde tentaram nos parar em 2018 – disse.

No comício, Bolsonaro repetiu o tom adotado nas últimas semanas que antecederam a campanha, tanto que voltou a convocar seus apoiadores para “ir às ruas pela última vez”, em referência aos atos de 7 de Setembro, data que marca o bicentenário da Independência.

Segundo o presidente, os manifestos serão a favor da “independência” e da “liberdade” do Brasil. No mesmo contexto e com tom mais elevado, Bolsonaro também criticou seu principal adversário na disputa pelo Palácio do Planalto, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

– O Brasil é uma grande nação, é um grande país, que, até pouco tempo, era roubado pela esquerdalha que estava no poder. O país não quer mais corrupção. O Brasil estava à beira de um colapso, com problemas éticos, morais e econômicos, e marchava, sim, a passos largos para o socialismo – desabafou.

Bolsonaro ainda sinalizou que pretende utilizar um possível melhor momento econômico, às vésperas da eleição, e as reduções observadas no preço dos combustíveis nas últimas semanas, como estratégia para seduzir o eleitorado.

– Nós podemos, cada vez mais, dizer que o nosso país é um país de prosperidade. Podemos comparar o nosso Brasil com outro país do mundo. Ninguém tem o que nós temos. Vocês veem o esforço do governo para que a nossa inflação diminua e para que os preços dos combustíveis também caiam – ilustrou.

O candidato à reeleição defendeu pautas mais conservadoras. Assim como declarou em outras oportunidades, se disse contra aborto, contra “ideologia de gênero” e contra o “comunismo”.

– O país que não quer o retrocesso, não quer a volta da ideologia de gênero nas escolas. Somos um país que respeita a vida desde a sua concepção e que não quer se aliar ao comunismo de outros locais do mundo – concluiu.

Leia também1 Bolsonaro chama eleição de luta do bem contra o mal
2 Grupo católico faz “oração contra o comunismo” no Brasil
3 Bolsonaro: "Somos contra o controle da mídia e internet"
4 Bolsonaro fala em milagres e lembra que Brasil caminhava para o socialismo
5 Bolsonaro: "Quem ama vermelho passará a usar verde e amarelo"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.