Leia também:
X Doria diz que demora para vacinar crianças é ‘revoltante’

Bolsonaro sobre Adélio: “Investigação vai chegar em gente grande”

Presidente deu declarações nesta quarta-feira, durante uma entrevista coletiva

Pleno.News - 05/01/2022 13h49 | atualizado em 05/01/2022 16h59

Bolsonaro sobre Adélio: “Investigação vai chegar em gente grande” Foto: Reprodução/YouTube/Planalto

Após receber alta do Hospital Vila Nova Star, em São Paulo, o presidente Jair Bolsonaro deu declarações durante uma entrevista coletiva nesta quarta-feira (5). Ao falar sobre a facada que sofreu em 2018, ele destacou que “querem politizar uma tentativa de homicídio”.

O chefe do Executivo disse ainda que sua internação não teve objetivo político.

– Querem politizar uma tentativa de homicídio. As imagens mostram a faca entrando e tem um brilho dela quando sai. Falar que isso é uma faca fake? O pessoal tem dúvida. Alguns dizem que seria armação da minha parte. A faca entrou, e, na hora, alguns falaram que não sangrou, mas uma facada nessa região não sangra porque vai tudo para dentro – explicou o presidente.

– Estava previsto para eu retornar na terça-feira a Brasília, mas vim parar aqui. Agora, querer levar para o lado da politização, que estou vitimizando, está de brincadeira comigo. Nós temos muito a zelar. Eu fui um candidato paupérrimo, pobre, miserável. Se eu quisesse armar, iria armar em cima do hospital Albert Einstein? Do hospital de Juiz de Fora? Pelo amor de Deus – declarou.

Bolsonaro também criticou as investigações sobre o atentado.

– Três advogados imediatamente chegaram lá [em Juiz de Fora]. Um, inclusive, com avião particular. Uma pessoa tentou entrar na Câmara com o nome do Adélio como álibi. Da pousada, duas pessoas já morreram. Está muito parecido com [o caso do] Celso Daniel. O delegado que estava no caso saiu, está indo para o exterior. O processo foi reaberto, e espero que a PF aprofunde mais, porque conseguimos agora adentrar nos telefones dos advogado [de Adélio]. Não foi da cabeça dele. No meu entender, não está difícil de desvendar esse caso. Vai chegar em gente importante, com toda certeza. Não há dúvida da tentativa de homicídio – completou.

O presidente Bolsonaro ainda acrescentou que as eleições de 2022 serão “limpas” e que os votos serão “contados”.

– As Forças Armadas foram convidadas pelo ministro Barroso para participar das eleições. Aceitamos para participar de todo o processo, sem exceção – falou o presidente.

Leia também1 Bolsonaro seguirá acompanhado de equipe médica assistente
2 Bolsonaro rebate Ivete e Abreu: "Acabou aquela teta gorda deles"
3 Presidente Bolsonaro sanciona mudança no ICMS interestadual
4 “Não consigo me controlar”, afirma Bolsonaro sobre dieta
5 Bolsonaro: Lula já ofereceu Caixa e um ministério em negociações

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.