Leia também:
X Saúde deve ter mais 2 milhões de doses da vacina de Oxford

Bolsonaro reclama de home office do presidente da Petrobras

Presidente também voltou a negar interferência na estatal

Pleno.News - 22/02/2021 19h12

Presidente Jair Bolsonaro negou interferência na Petrobras Foto: Agência Estado/Wagner Pires

Após indicar o general da reserva Joaquim Silva e Luna para o comando da Petrobras, Jair Bolsonaro voltou a criticar, nesta segunda-feira (22), o fato de o presidente da empresa, Roberto Castelo Branco, estar trabalhando em home office desde março, em razão da pandemia de Covid-19.

– O atual presidente da Petrobras está há 11 meses em casa, sem trabalhar. Trabalha de forma remota. Agora o chefe tem que tá na frente, bem como seus diretores. Então isso pra mim é inadmissível. Ninguém quer perseguir servidor, muito pelo contrário, temos que valorizar os servidores, agora, o petróleo é nosso ou é de um pequeno grupo no Brasil? Ninguém vai interferir na política de preços da Petrobras – afirmou Bolsonaro.

Bolsonaro negou que exista em curso uma interferência sua na Petrobras, mas deixou clara a sua insatisfação com a política de preços adotada pela estatal. O mercado reagiu mal ao anúncio da troca de comando da empresa e as ações da estatal tiveram forte queda na Bolsa brasileira nesta segunda.

Ao falar sobre a desejada troca na presidência da Petrobras, Bolsonaro afirmou que a política adotada na estatal “só tem um viés” e que isso tem alegrado “alguns do mercado financeiro” por “atender os interesses próprios de alguns grupos”.

– Não será reconduzido (Castelo Branco). Qual o problema? É sinal que alguns do mercado financeiro estão muito felizes com a política que só tem um viés da Petrobras, atender os interesses próprios de alguns grupos, nada mais além disso – disse Bolsonaro a apoiadores.

Indicado para presidir a estatal, Silva e Luna disse ao Estadão/Broadcast acreditar que é necessário “equilibrar as atenções” entre os interesses de acionistas e investidores da empresa e os da sociedade.

– Falam em interferência minha. Baixou o preço do combustível? Foi anunciado 15% no diesel, 10% na gasolina. Baixou o percentual? Não está valendo o mesmo percentual? Como que houve interferência? O que eu quero da Petrobras, exijo, é transparência e previsibilidade – disse.

*Estadão

Leia também1 Bolsonaro fala em 'covardia' com reajuste dos combustíveis
2 Caminhoneiros chamam Doria de "ladrão" e "sem vergonha"
3 "Vai demitir Ernesto e Salles também?", ironiza Rodrigo Maia
4 Bolsonaro: "Vamos meter o dedo na energia elétrica"
5 Silva e Luna diz que pretende "ouvir muito" Paulo Guedes

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.