Leia também:
X RJ: Morre Jorgina de Freitas, condenada por fraude do INSS

Bolsonaro: “Quem cria emprego é a iniciativa privada”

Presidente disse a apoiadores que não é responsabilidade do governo criar empregos e ressaltou que houve uma queda no desemprego mesmo durante a pandemia

Gabriel Mansur - 21/07/2022 18h51 | atualizado em 21/07/2022 19h39

Bolsonaro Foto: Reprodução/YouTube Notícias do Brasil

O presidente Jair Bolsonaro (PL) comentou sobre o desemprego no país. Para o pré-candidato à reeleição, o governo não tem autonomia para criar empregos, podendo apenas não “atrapalhar” os empreendedores. Por isso, segundo ele, os jovens deveriam “correr atrás”.

A declaração ocorreu nesta quinta-feira (21), durante conversa com apoiadores no Palácio da Alvorada. O chefe do Executivo ainda ressaltou que conseguiu criar empregos mesmo durante a pandemia da Covid-19 e relembrou a crescente de desemprego ao longo do governo de Dilma Rousseff (PT). Em 2015, um ano antes do impeachment, foram fechadas 1,542 milhão de vagas.

– Por que o ensino foi de mal a pior nos governos do PT? Porque interessa a juventude ser doutrinada, ser um boca aberta aí. [Dizem] “A culpa é do governo. Cadê o meu emprego?”. Você tem que correr atrás. Eu não crio emprego. Quem cria emprego é a iniciativa privada. Eu não atrapalho o empreendedor – ressaltou.

Bolsonaro citou a Lei da Liberdade Econômica, sancionada em 2019, como um dos feitos do seu governo que teriam auxiliado na criação de empregos. No primeiro trimestre de 2020, a taxa de desemprego entre jovens de 18 a 24 anos atingiu 26,3%, subindo a 30% no mesmo período do ano seguinte. No primeiro trimestre de 2022, recuou a 22,8%.

– Por isso enfrentamos 2020 e 2021. Terminamos com saldo positivo de quase 3 milhões de empregos em 20, 21. Vai para 2015, 2016, Dilma Rousseff. Perdemos quase 3 milhões de empregos. Nós, com pandemia, criamos. Não teve nada lá. O que teve lá para perder 3 milhões de empregos? – completou.

Em 2021, o Brasil criou 2.730.597 vagas de emprego formal, revertendo o fechamento de 191.455 mil vagas em 2020. Já em 2015, foram fechadas 1,542 milhão de vagas. No ano seguinte, foram mais 1,32 milhão.

Leia também1 Janaina Paschoal: "Parem de me pressionar a desistir" do Senado
2 Bolsonaro faturou mais que Lula com apoio de Anitta ao petista
3 Bolsonaro diz que ser “dono de casa” é a sua função preferida
4 "Não aceitamos alegação de fraude", diz Aras sobre urnas
5 PT oficializa candidatura de Lula em evento sem o ex-presidente

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.