Leia também:
X Bolsonaro quer abertura da CPI da Petrobras na próxima 2ª feira

Bolsonaro: Não há liberdade para criticar ministros do STF

Presidente afirmou que queixas em relação a votos dos magistrados podem resultar em prisão

Thamirys Andrade - 18/06/2022 17h22 | atualizado em 20/06/2022 11h28

Jair Bolsonaro Foto: Isac Nóbrega/PR

O presidente Jair Bolsonaro queixou-se, neste sábado (18), sobre a ausência de “liberdade para criticar” decisões dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e se manifestar sobre as urnas eletrônicas.

– Para falar de urna eletrônica, você não tem liberdade, para criticar um voto de ministro do Supremo Tribunal Federal, você não tem liberdade, você pode ser preso. Onde querem parar? Esse carro está ladeira abaixo. Dá pra puxar freio de mão do carro ainda? Acredito que sim – falou ele.

As declarações ocorreram durante evento no Ato de Unção Apostólica do Ministério Restauração, em Manaus, Amazonas. Na ocasião, ele disse que a liberdade para ele é mais cara que a própria vida.

– Tem algo para mim mais importante que a própria vida: é a liberdade, porque um homem e uma mulher sem liberdade não vivem – assinalou.

Bolsonaro ainda afirmou que o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) ignorou as Forças Armadas no que diz respeito a sugestões envolvendo o sistema eleitoral.

– Apresentamos uma dúzia de sugestões que dá pra resolver muita coisa, ainda não perfeita. O que o TSE fez? Começou a ignorar as Forças Armadas, dando a entender que seria bom a gente se retirar. Eu não vou agora bater em retirada, nós vamos até o final – prometeu.

Leia também1 Bolsonaro quer abertura da CPI da Petrobras na próxima 2ª feira
2 Manuela D'Ávila deixou eleições por "desunião da esquerda"
3 Bolsonaro afirma que quem se eleger mudará "história do STF"
4 Eduardo Bolsonaro critica Lula por libertação de sequestradores
5 Lula procurou FHC para libertar sequestradores de Abílio Diniz

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.