Leia também:
X Projeto de petista na Câmara pretende proibir delações

Bolsonaro marca presença em evento militar no RJ

Outras autoridades também estiveram na cerimônia

Ana Luiza Menezes - 17/08/2019 16h58 | atualizado em 17/08/2019 21h44

Neste sábado (17), o presidente Jair Bolsonaro participou da Cerimônia de Entrega de Espadins aos Cadetes da Academia Militar das Agulhas Negras (AMAN), em Resende, Rio de Janeiro.

Durante o evento, os 411 cadetes, da Turma Bicentenário da Independência, receberam do chefe do Executivo a réplica reduzida do sabre de combate do marechal Luís Alves de Lima e Silva, o Duque de Caxias, patrono do Exército Brasileiro.

Bolsonaro foi recebido com honras de chefe de Estado. Em seu discurso, ele revelou ter se sentido honrado com o convite.

– Não existe emoção ou honra maior de que, na condição de chefe supremo das Forças Armadas, presidir essa cerimônia. Meus cadetes, no futuro, vocês estarão nos nossos lugares. Assim como vocês, em 1974, eu também recebi o meu espadim nesse sagrado P3M – disse.

Além do presidente da República, outras autoridades compareceram. Entre os nomes de peso estavam o presidente do Supremo Tribunal Federal, Dias Toffoli, a procuradora-geral da República, Raquel Dodge, o governador do Estado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, os senadores Arolde de Oliveira e Flávio Bolsonaro, além de ministros e deputados. João Doria, governador de São Paulo, Ronaldo Caiado, governador de Minas Gerais, Davi Alcolumbre, presidente do Senado, também marcaram presença.

Na ocasião, Bolsonaro também fez questão de falar sobre assuntos atuais, como a soberania da Amazônia e sua preocupação com a Argentina.

– Nós temos um compromisso com esse pedaço de terra mais rico e sagrado do mundo. Não é à toa que outros países, cada vez mais, tentam ganhar a guerra da informação para que nós venhamos a perder a soberania sobre essa área. O Brasil é riquíssimo. Pouquíssimos ou raros países têm o que nós temos – afirmou.

Já sobre o país do presidente Mauricio Macri, Bolsonaro afirmou que está contando com a fé para que o resultado das eleições presidenciais seja diferente.

– Peçamos a Deus, nesse momento, que a nossa querida Argentina, mais ao sul, saiba como proceder, através de seu povo, para não retroceder – falou.

Leia também1 Projeto de petista na Câmara pretende proibir delações
2 Bolsonaro diz sobre PL do abuso: “Que vai ter veto, vai”
3 Bolsonaro diz em evento que não quer retrocesso argentino

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.