Leia também:
X Broca vai parar no pulmão de paciente que foi extrair dente

Bolsonaro lamenta crises: ‘Só Deus explica a gente estar de pé’

Presidente citou percalços enfrentados pelo governo federal

Gabriela Doria - 24/08/2021 22h56 | atualizado em 25/08/2021 10h02

Presidente Jair Bolsonaro atribuiu a Deus a continuidade de seu governo Foto: PR/Isac Nóbrega

O presidente Jair Bolsonaro lamentou a apoiadores, nesta terça-feira (24), as crises que o governo federal tem enfrentado durante seu mandato. Bolsonaro recebeu um coral evangélico no Palácio da Alvorada durante um evento institucional e recebeu uma oração.

– Foi um primeiro ano difícil. O segundo acabou sendo mais difícil por causa da pandemia. Agora, no terceiro, ainda tem um restinho da pandemia. Espero que já esteja no final. Veio uma geada também. Estamos na maior crise hidrológica nos últimos 91 anos. Parece que eu estou sendo testado. Nunca se viu uma seca como essa. Reservatórios foram lá embaixo. Não sei como a gente ‘tá resistindo ainda. Só tem uma explicação – afirmou.

Bolsonaro atribuiu a Deus a continuidade de seu governo.

– O que conforta a gente é ter a consciência em paz, mesmo com dois anos de governo com desgaste, com inflação, que vem do “fique em casa; economia a gente vê depois”. Produzimos menos e gastamos mais; [a] inflação ‘tá aí. Mas isso é uma coisa que aconteceu no mundo todo. Só Ele [Deus] explica a gente estar de pé. Não falta gente querendo aquela cadeira. Não é para bom uso não. Os que criticam não apontam soluções – disse o presidente a apoiadores.

Leia também1 Sobre STF e TSE, Bolsonaro diz que 'corda arrebentou'
2 Com 55 votos, Senado aprova Aras para novo mandato na PGR
3 Senadores cobram Alcolumbre sobre a sabatina de Mendonça
4 Justiça rejeita denuncia contra Allan por 'ameaçar' Barroso
5 'Capeta tentando apurar coisa no paraíso', diz Bolsonaro sobre CPI

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.