Leia também:
X Câmara desiste de afastar Dr. Jairinho da Comissão de Justiça

Bolsonaro inclui Correios no Programa de Desestatização

Anunciada em março, a inclusão foi publicada no Diário Oficial da União

Pleno.News - 14/04/2021 11h10 | atualizado em 14/04/2021 11h27

Correios estão incluídos no Programa Nacional de Desestatização Foto: Willian Moreira/Futura Press/Folhapress

O presidente da República, Jair Bolsonaro, formalizou a inclusão da Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos (ECT) no Programa Nacional de Desestatização. A decisão já havia sido anunciada em março pelo Conselho do Programa de Parcerias de Investimentos (CCPI) e, nesta quarta-feira (14), foi confirmada em decreto publicado no Diário Oficial da União (DOU).

Com o decreto, o governo dará continuidade aos estudos necessários à desestatização dos Correios. O texto também estabelece diretrizes a serem observadas no processo. Uma delas é que a desestatização da empresa seja feita por venda do controle acionário da estatal em conjunto com a concessão dos serviços postais universais, como cartas simples ou registradas e serviço de telegrama.

A privatização dos Correios ainda depende da aprovação de um projeto de lei de autoria do Executivo que permite à iniciativa privada prestar serviços que hoje apenas os Correios podem operar. O decreto condiciona a efetiva desestatização da ECT à aprovação desse projeto pelo Congresso.

Como justificativa à decisão de privatizar os Correios, o governo diz que “o desenvolvimento adequado dos serviços postais brasileiros demanda um patamar de investimentos que o setor público não consegue prover” e que “a União deve concentrar os seus esforços nas atividades em que a presença do Estado seja fundamental para a consecução das prioridades nacionais”.

O decreto determina ainda que competirá ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) executar e acompanhar o processo de desestatização dos serviços postais.

A previsão, por ora, é de que o leilão ocorra em 2022.

*Estadão

Leia também1 'Retomada da economia virá pelo setor privado', afirma Guedes
2 'Economia vai voltar mais rápido e com mais força no 2º semestre'
3 Chineses fazem doação de R$ 1,7 milhão para sindicatos do Brasil
4 PIB do Brasil deve crescer 3,4% em 2021, prevê análise da S&P
5 Funcionários da LG recusam indenização e iniciam greve

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.