Leia também:
X Site dos Correios volta a operar “com quase toda a capacidade”

“Bolsonaro faz politicagem com vida de crianças”, diz Freixo

O deputado é a favor da vacinação infantil contra a Covid-19

Monique Mello - 23/12/2021 12h58 | atualizado em 23/12/2021 14h17

Deputado federal Marcelo Freixo Foto: Marina Ramos/Câmara dos Deputados

O líder da Minoria na Câmara, deputado Marcelo Freixo (PSB-RJ), criticou nesta quinta-feira (23) o atraso do início da vacinação contra a Covid-19 de crianças com 5 a 11 anos. Para Freixo, o presidente da República, Jair Bolsonaro, faz politicagem com a vida dos jovens.

– Uma criança morreu a cada dois dias desde que o coronavírus chegou ao Brasil. Nós já poderíamos estar vacinando os nossos filhos, mas Bolsonaro está atrasando o início da imunização. Em vez de proteger nossas crianças, o presidente prefere fazer política com a vida delas – disse Freixo no Twitter.

No início da semana, Freixo já tinha feito críticas ao ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, após este declarar que a “pressa é inimiga da perfeição” em relação à vacinação infantil. O parlamentar chegou a chamar o ministro de “capanga de Bolsonaro”.

– O ministro da Saúde está debochando dos pais e mães que querem proteger os filhos contra a Covid. Queiroga não é ministro, é capanga de Bolsonaro – disse Freixo na ocasião.

Nesta quinta-feira, o Ministério da Saúde iniciará uma consulta pública até 2 de janeiro sobre a vacinação infantil com o imunizante da Pfizer. A medida foi publicada no Diário Oficial da União (DOU) na quarta-feira (22).

Leia também1 Pfizer nega pedido de vacinas infantis da Prefeitura do Rio
2 Oposição vai ao STF contra Bolsonaro por vacina a crianças
3 Anvisa já recebeu mais de 150 e-mails com ameaças. Veja alguns
4 "Governadores atravessam o samba", diz Mourão sobre vacina em crianças
5 Nenhum país sairá da pandemia com doses de reforço, diz OMS

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.