Leia também:
X RJ: Ônibus que levava pacientes com câncer sofre grave acidente

Bolsonaro diz que enviará à CGU dados de empréstimos do BNDES

Créditos que beneficiaram países como Venezuela e Cuba fazem parte de relatório que será enviado pelo governo

Paulo Moura - 05/08/2021 13h26 | atualizado em 05/08/2021 14h50

Presidente Jair Bolsonaro Foto: Alan Santos/PR

Em entrevista ao Debate 93, da rádio 93FM do Rio de Janeiro, nesta quinta-feira (5), o presidente Jair Bolsonaro disse que recebeu o relatório do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) com todas as operações de empréstimos realizados pelos governos do PT e vai encaminhá-lo à Controladoria-Geral da União (CGU). A questão envolve países como Venezuela e Cuba.

– Não houve nenhum controle desses empréstimos que beneficiaram Cuba, Venezuela, dentre outros – declarou o chefe do Executivo.

Em tom crítico aos governos petistas, Bolsonaro também acusou a ex-presidente Dilma Rousseff de despachar no Palácio ouvindo inteligências da Venezuela e de Cuba, e ironizou o empréstimo concedido aos cubanos para a construção do Porto de Mariel, que teve como garantia recebíveis da indústria de charutos da ilha caribenha.

Ao declarar que a liberdade e direitos dos cidadãos brasileiros estão ameaçados pelo PT e uma possível volta da legenda ao comando do país, Bolsonaro exemplificou a situação com relatos sobre países vizinhos governados pela esquerda. Segundo o presidente, informações vindas de Roraima, estado que faz divisa com a Venezuela, mostram que os venezuelanos seguem fugindo da fome.

Leia também1 Jovem Pan terá que indenizar ativista pró-linguagem neutra
2 Homem entra na justiça do DF contra Joice por perseguição
3 Bolsonaro concede medalha a Ciro, Damares e Marcos Pontes
4 Veja os documentos divulgados por Bolsonaro sobre invasão
5 Bolsonaro: A contagem de votos atual não tem transparência

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.