Leia também:
X RJ: Acidente de trânsito mata médico, filho de pastor batista

Bolsonaro diz que cortou verba do MST: “Propriedade é sagrada”

Presidente também destacou que estendeu porte de armas no campo

Thamirys Andrade - 10/05/2021 12h04 | atualizado em 10/05/2021 13h24

Presidente Jair Bolsonaro Foto: Alan Santos/PR

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) disse nesta segunda-feira (10) que o governo federal tirou verba de Organizações Não-Governamentais (ONGs) parceiras do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST).

Em conversa com apoiador do Pará em frente ao Palácio da Alvorada, o mandatário destacou que a propriedade privada “é sagrada”.

– Tá mais devagar o MST lá [no Pará]? Tiramos dinheiro de ONGs deles. Tem o porte estendido do fazendeiro. Fazendeiro pode andar armado em toda a propriedade – disse Bolsonaro.

Desde 2019, o primeiro ano de sua gestão, o mandatário flexibilizou a posse e o porte de armas no campo. Hoje, moradores de regiões rurais podem comprar armamento de qualquer calibre, desde que possuam mais de 25 anos, não sendo mais necessário que seja comprovada a efetiva necessidade da arma ou ameaça à integridade física.

Os fazendeiros também estão autorizados a portar a arma por toda a propriedade; diferente das regras anteriores, que estabeleciam que o objeto não poderia sair da sede do imóvel.

– Propriedade privada é sagrada. Não pode invadir. Tem que ter a reação de quem está sendo invadido – defendeu o chefe do Executivo.

Leia também1 Huck culpa o governo federal pela morte de Paulo Gustavo
2 Jair Bolsonaro volta a defender aprovação do voto auditável
3 Cunha volta às redes após ter prisões derrubadas pela Justiça
4 Braga Netto lembra a 2ª Guerra: 'A cobra pode fumar novamente'
5 Paes é flagrado sem máscara em roda de samba no Rio de Janeiro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.