Leia também:
X Bolsonaro recebe o conselheiro de Segurança Nacional dos EUA

Bolsonaro detona “ativismo judicial” de Barroso no STF

Em entrevista à rádio 93 FM, presidente também defendeu eleições limpas

Pleno.News - 05/08/2021 16h22 | atualizado em 05/08/2021 17h26

Presidente Jair Bolsonaro Foto: PR/Marcos Corrêa

Nesta quinta-feira (5), em entrevista ao Debate 93, da rádio 93FM, do Rio de Janeiro, o presidente Jair Bolsonaro voltou a disparar críticas contra o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). No programa, Bolsonaro apresentou o “currículo” de Barroso e voltou a defender “eleições limpas”.

– O povo tem que ser ouvido. Não queremos problemas no ano que vem. Queremos eleições limpas, e não com a possibilidade grande de termos eleições de cartas marcadas para eleger o ídolo do Barroso, o senhor Luiz Inácio Lula da Silva – apontou.

Em seguida, Bolsonaro lembrou de alguns posicionamentos do ministro sobre temas considerados polêmicos.

– Quem é o senhor Luís Barroso? Ele chegou ao Supremo por ter defendido um terrorista, Cesare Battisti. Dentro do Supremo, ele começou a botar seu ativismo judicial a serviço da sua ideologia. Ele é favorável à legalização do aborto, é favorável à legalização das drogas. Ele é favorável à diminuição do estupro de vulnerável […] Ele quer baixar a idade [de consentimento para relações sexuais] de 14 para 12 anos. Esse mesmo Barroso, que acha que uma menina de 12 anos pode ter uma relação com um adulto, é contra a redução da maioridade penal para 16 anos – ressaltou.

Leia também1 Bolsonaro recebe o conselheiro de Segurança Nacional dos EUA
2 Bolsonaro nomeia Bruno Bianco para a Advocacia-Geral da União
3 Bolsonaro: 'Moraes é o próprio fake news, a mentira em pessoa'
4 Bolsonaro diz que enviará à CGU dados de empréstimos do BNDES
5 Bolsonaro: A contagem de votos atual não tem transparência

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Canal
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.