Leia também:
X Bolsonaro diz que Barroso faz “ativismo” contra voto auditável

Bolsonaro defende Pazuello: “Não negociamos com picaretas”

Presidente negou acusações de que o ministro teria negociado vacinas superfaturadas com intermediários

Thamirys Andrade - 18/07/2021 11h54 | atualizado em 18/07/2021 12h31

Solenidade de Assinatura da Medida Provisória da Vacina contra o Coronavírus
Ex-ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, e presidente Jair Bolsonaro Foto: Isac Nóbrega/PR

Em conversa com a imprensa na saída do Hospital Vila Nova Star (SP) na manhã deste domingo (18), o presidente Jair Bolsonaro negou que o ex-ministro da Saúde Eduardo Pazuello teria negociado doses da CoronaVac pelo triplo do preço com intermediadores. O chefe do Executivo defendeu que seu governo não negocia com “picaretas”.

– [Brasília] é um paraíso de lobistas, de picaretas. Brasília tudo que há de ruim no Brasil vai lá fazer lobby, tentar tirar proveito. Agora, acredita quem quiser: o nosso governo não gastou um centavo com picareta. Parabéns ao Pazuello, parabéns ao coronel Elcio – declarou o presidente.

Após vídeo publicado pelo jornal Folha de S.Paulo que mostra o até então ministro ao lado de representantes da World Brands Distribuidora S/A, o general emitiu nota dizendo que foi apenas cumprimentar os empresários depois de uma reunião com a secretaria-executiva da pasta, comandada pelo coronel Elcio Franco à época.

Ainda nesta manhã, Bolsonaro teceu críticas à Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid-19 e disse que seria o primeiro a buscar apuração em caso de corrupção em seu governo.

– A CPI daqui fica o tempo todo me acusando de corrupto por algo que eu não comprei, algo que eu não paguei e quem paga, na ponta da linha, é alguém lá do ministério. É todo dia uma narrativa. Querem derrubar o governo? Já disse: só Deus me tira daquela cadeira. Será que não entenderam que só Deus me tira daquela cadeira? Se aparecer uma corrupção em meu governo, serei o primeiro a buscar maneira de apurar isso aí – assinalou.

Bolsonaro recebeu alta médica por volta das 10h deste domingo, após passar quatro dias internado no hospital Vila Nova Star, em São Paulo, devido a um quadro de obstrução intestinal. Ele retornará ao Palácio do Planalto, em Brasília, onde seguirá com o tratamento ambulatorial.

Leia também1 Sobe para 23 o número de casos da variante Delta no Rio
2 Queiroga critica municípios que criam regras próprias de vacinação
3 Rio ainda não decidiu sobre liberação de público na Libertadores
4 CoronaVac é a vacina mais rejeitada no Brasil, diz pesquisa
5 Davati vende vacina contra gripe de forma ilegal nos EUA

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.