Leia também:
X Preso, Daniel Silveira diz que a luta “não valeu a pena”

Bolsonaro culpa ‘artistas globais’ e o ‘fique em casa’ por inflação

Presidente também defendeu o auxílio emergencial

Gabriela Doria - 14/10/2021 15h36 | atualizado em 14/10/2021 15h50

Presidente Jair Bolsonaro defendeu o auxílio emergencial Foto: PR/Alan Santos

O presidente Jair Bolsonaro voltou a destacar a importância que o auxílio emergencial teve para aplacar a crise causada pela pandemia de Covid-19. Em discurso nesta quinta-feira (14) no Palácio do Planalto, o presidente afirmou que o benefício evitou o “caos” no país.

Bolsonaro também comentou sobre o aumento da inflação e citou a política do “fica em casa”.

– A questão da inflação: sabemos que aumentou. Mas da onde veio isso daí? Lembra daqueles artistas globais? “Fica em casa, faça cursinho de francês”. Lembra? “Olha aqui, vou ser obrigado agora a tomar um vinho…” Lindo, né? Agora, uns 40 milhões de pessoas foram para a miséria. Viviam de bico na rua, foram para a lona. Demos o auxílio emergencial de R$ 600. Ajudou, evitou o caos no Brasil, invasão de supermercado, quebra-quebra. Agora, a conta está chegando – lembrou.

O governo ainda discute uma nova prorrogação do auxílio emergencial. Isto porque a manutenção do benefício exige ainda mais das contas públicas, que já chegaram ao seu limite. A última parcela do auxílio será paga no dia 31 deste mês.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, afirmou ser contrário à extensão do benefício. Segundo Guedes, seria necessário haver um nova pandemia para que a ajuda governamental continuasse.

Leia também1 Preso, Daniel Silveira diz que a luta "não valeu a pena"
2 Ações da Petrobras sobem após Bolsonaro falar em privatização
3 Trans apoiadora de Bolsonaro denuncia que sofreu ameaça
4 Fernando Haddad diz que PT "não é um partido de esquerda"
5 De olho em 2022, Moro deve se filiar ao Podemos em novembro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.