Leia também:
X Advogado entra na Justiça após ser bloqueado por Bolsonaro

Bolsonaro critica ‘gênero neutro’: “Aparelhamento na educação”

Presidente perguntou qual o "futuro da nação que age dessa maneira com a educação?”.

Henrique Gimenes - 13/11/2020 15h58 | atualizado em 13/11/2020 17h55

Presidente Jair Bolsonaro Foto: Agência Brasil/José Cruz

Nesta sexta-feira (13), o presidente Jair Bolsonaro fez críticas ao chamado “gênero neutro” em conversa com apoiadores. Ao falar sobre alterações na Língua Portuguesa, ele perguntou qual o “futuro da nação que age dessa maneira com a educação?”.

O assunto entrou em discussão após um colégio do Rio de Janeiro anunciar que iria adotar a “neutralização de gênero” devido ao “compromisso com a promoção do respeito à diversidade e da valorização das diferenças no ambiente escolar”.

Ao criticar a medida, o presidente falou sobre um “aparelhamento na educação”.

– Agora vai discutir linguagem que vale para os dois sexos, né? Enquanto na China mais da metade das patentes são de lá, nós aqui temos o quê? Você não investe nessa área porque não tem uma massa humana preparada desde cedo – destacou.

Bolsonaro também criticou o desempenho da educação no Brasil.

– Não consegue, ao ler o segundo parágrafo, saber o que tinha no primeiro. Ciências um desastre. Até a fórmula da água você tem dificuldade, perante o papel de colocar a fórmula da água. Qual é o futuro nosso? Esse pessoal cresce, vai no mercado de trabalho com uma formação deficitária, vai fazer o quê? Vai aceitar ser subempregado – apontou.

Leia também1 Colégio "inova" e adota terceiro gênero: "Querides alunes"
2 Mourão diz que vitória de Biden está "cada vez mais irreversível"
3 Advogado entra na Justiça após ser bloqueado por Bolsonaro
4 Internet debocha da IstoÉ e capa com Bolsonaro vira meme
5 Bolsonaro: "A pandemia nos fez endividar R$ 700 bilhões"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.