Leia também:
X Após fazer propaganda contra carne, Spoleto pede desculpas

Bolsonaro critica Fachin por linguagem neutra: ‘O que tem na cabeça?’

Presidente lamentou a decisão do ministro do STF de suspender lei que proíbe linguagem neutra

Henrique Gimenes - 10/01/2022 15h11 | atualizado em 10/01/2022 16h01

Presidente da República, Jair Bolsonaro Foto: Alan Santos/PR

Em entrevista à Jovem Pan na manhã desta segunda-feira (10), o presidente Jair Bolsonaro disparou críticas ao ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF). O motivo para isso foi uma liminar concedida pelo ministro que suspendeu uma lei que proibia o uso da chamada “linguagem neutra” em escolas.

A liminar foi concedida por Fachin em novembro, quando o ministro suspendeu uma lei de Rondônia sobre o tema e levou o caso para ser analisado pelo plenário do STF.

Nesta segunda, Bolsonaro voltou a fazer críticas à linguagem neutra e lembrou a decisão do ministro do STF.

– Você vê: linguagem neutra. O que que leva a isso? O nosso português já é uma língua difícil. Imagina como vai se manifestar lá fora, perante o mundo. Se eu não me engano, Santa Catarina tem uma lei lá que foi sancionada pelo governador proibindo a linguagem neutra. O que o ministro Fachin fez? Deu uma liminar contra essa lei que estava lá proibindo a linguagem neutra – apontou.

Em seguida, o presidente perguntou o que Fachin “tem na cabeça”.

– Que país é esse? Que ministro é esse do Supremo Tribunal Federal? O que que ele tem na cabeça? Virou “eu quero, eu não quero”? – ressaltou.

Leia também1 Admiradora de Moro, Janaina não garante voto em Bolsonaro
2 Prefeito de Chapecó "enquadra" Zé de Abreu e defende Bolsonaro
3 Bolsonaro rebate Moro: ‘Teve 1 ano e 4 meses comigo e não descobriu nada?'
4 Bolsonaro diz que saúde está boa “para alegria de uns e tristeza de outros”
5 Bolsonaro diz ter 'na cabeça' seus dois próximos indicados ao STF

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.