Leia também:
X Grupo de médicos repudia CPI e defende Dra. Nise Yamaguchi

Bolsonaro chama senador Renan Calheiros de “PhD em corrupção”

Presidente afirmou que o colegiado não vai apurar desvios de dinheiro público

Paulo Moura - 02/06/2021 10h23 | atualizado em 02/06/2021 10h52

Presidente Jair Bolsonaro Foto: Isac Nóbrega/PR

Em conversa com apoiadores em Brasília na noite de terça-feira (1°), o presidente Jair Bolsonaro voltou a criticar o relator da CPI da Covid, senador Renan Calheiros (MDB-AL). De acordo com o presidente, o parlamentar é “PhD em corrupção” e o relatório que será feito por ele no colegiado “não dá nem para colocar no banheiro, porque estará mais sujo do que o papel higiênico”.

– Hoje estava lá a Nise Yamaguchi, uma estudiosa do assunto. E estava sendo humilhada; uma covardia, uma covardia. Um cara com 17 inquéritos no Supremo, PhD em corrupção e tentando fazer…Olha só….Olha que ridículo! Ficaram uma hora batendo na Nise – disse o presidente ao comentar sobre a ida da Dra. Nise Yamaguchi à CPI.

O presidente disse ainda acreditar que a CPI não vai investigar desvios de dinheiro público destinado ao combate à pandemia porque o colegiado “não vai apurar a especialidade do Renan”.

– Impressionante as perguntas que fazem na CPI, em uma clara demonstração de que não têm do que acusar. Agora eu quero ver a ministra Rosa Weber, porque os governadores entraram com uma ação no Supremo para que não fossem chamados na CPI. Vamos ver o que acontece. O próprio Renan falou há algumas semanas: “Essa CPI não vai apurar desvio de recursos” – completou Bolsonaro.

Leia também1 Conmebol agradece eficiência de Bolsonaro com a Copa América
2 Facada em Bolsonaro completa 1.000 dias ainda com mistérios
3 Aziz divulga novo calendário da CPI. Queiroga depõe no dia 8
4 Para Haddad, Jair Bolsonaro é um candidato forte em 2022
5 Fachin dá 5 dias para Bolsonaro explicar máscara e aglomeração

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.