Leia também:
X Políticos se solidarizam após a morte da mãe de Bolsonaro

Barroso diz que não será preciso passaporte da vacina para votar

Em nota, ministro disse que boato "não tem qualquer fundamento"

Pleno.News - 21/01/2022 09h12 | atualizado em 21/01/2022 10h30

Ministro Luís Roberto Barroso Foto: Carlos Moura/SCO/STF

Nesta quinta-feira (20), o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, rebateu informações que circularam nas redes sociais a respeito de uma suposta exigência do passaporte da vacina durante as eleições deste ano. Por meio de nota, ele disse que o boato “não tem qualquer fundamento”. As informações são do Correio Braziliense.

O ministro também revelou que o colegiado ainda não se reuniu para definir o protocolo sanitário a ser adotado durante o pleito.

Segundo Barroso, “na ocasião própria, com a consultoria de especialistas, como foi feito em 2020, serão tomadas as medidas sanitárias que vierem a ser recomendadas”.

A nota do TSE apontou ainda que, assim que for estabelecido o procedimento para as eleições deste ano, as informações serão amplamente divulgadas.

– Nas últimas eleições, para conter a disseminação da Covid-19, o TSE ouviu diversos médicos, cientistas e autoridades em saúde antes de adotar o protocolo para que os cidadãos pudessem exercer o direito ao voto e escolher prefeitos e vereadores nos 5.567 municípios brasileiros. Portanto, qualquer decisão para as eleições deste ano seguirá o mesmo roteiro, com o devido embasamento científico, e seguindo recomendações feitas por especialistas – diz o texto.

Leia também1 Políticos se solidarizam após a morte da mãe de Bolsonaro
2 Mãe de Bolsonaro morre, aos 94 anos, no interior de SP
3 Após SP negar reação adversa, Zambelli cobra mais detalhes
4 Ignorado pelo Telegram, Barroso pode barrar app durante eleições
5 Decisão de Lewandowski não obriga vacinação, diz Bolsonaro

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.