Leia também:
X Pesquisa traz Bolsonaro e Lula empatados com 38% de votos

Barroso: Sete de Setembro pode mostrar “o fascismo no Brasil”

Ministro do STF disse que apoio a candidatos é “liberdade democrática”, mas críticas às instituições "devem ser reprimidas"

Gabriel Mansur - 05/08/2022 17h03 | atualizado em 05/08/2022 18h20

Ministro Luís Roberto Barroso Foto: STF/Carlos Moura

O ministro Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF) participou, nesta sexta-feira (5), do 17º Congresso Internacional de Jornalismo Investigativo, em São Paulo. Durante sua palestra, ele disse que os atos programados para 7 de Setembro, data em que será comemorado o bicentenário da Independência, pode “mostrar o tamanho do fascismo no Brasil”.

A declaração foi dada após o público questioná-lo sobre eventuais casos de violência tanto nas manifestações de 7 de Setembro quanto nas eleições gerais deste ano. A pessoa que perguntou ainda fez uma referência à invasão ao Capitólio, nos Estados Unidos, protagonizado por apoiadores de Donald Trump, derrotado no pleito de 2020.

– O 7 de Setembro, se forem os apoiadores de um dos candidatos, faz parte da democracia. E devemos olhar isso com todo o respeito. Agora, se for o episódio para fechamento do Supremo ou do Congresso, aí vamos saber mesmo o tamanho do fascismo e do sentimento antidemocrático no Brasil.

Segundo o ministro, é necessário separar o apoio aos candidatos, o que ele avalia como “liberdade democrática”, dos supostos ataques às instituições, o que ele chama de “sentimento antidemocrático”.

– Uma coisa é a liberdade de apoiar qualquer candidato, a outra coisa é querer destruir as instituições. Apoiar um candidato é liberdade democrática. Agora, destruir as instituições é fascismo, um sentimento antidemocrático. E isso precisa ser reprimido – completou.

Barroso ainda defendeu que as instituições e os órgãos de segurança pública tem funcionado e são “sólidas”. Citou, como exemplo, o 7 de Setembro de 2021. Disse que, na data do ano passado, “se temia invasão do Supremo e do Congresso”, crimes que não aconteceram.

Leia também1 Federação de banqueiros vai receber Bolsonaro e Lula
2 Moraes "ignora" a PGR e mantém inquérito contra Jair Bolsonaro
3 Partido de Bolsonaro vai ao TSE contra Lula por 'discurso de ódio'
4 “Gente boba não chega aonde a gente está”, explica Barroso
5 Bolsonaro é a favor de que roubo de celular seja crime hediondo

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.