Leia também:
X Após citação a Lula e PT, Veja chama Dominghetti de ‘golpista’

Omar Aziz é enquadrado e pede: ‘Não me intimidem’

Senador e militares trocaram farpas nesta quarta-feira

Pleno.News - 07/07/2021 22h55 | atualizado em 08/07/2021 12h02

Senador Omar Aziz reclamou das Forças Armadas Foto: Agência Senado/Edilson Rodrigues

O senador Omar Aziz rebateu prontamente, nesta quarta-feira (7), a nota em que as Forças Militares se manifestam sobre as declarações do presidente da Comissão Parlamentar de Inquérito da Covid-19. Mais cedo, Aziz atacou os militares, criticando o que chamou de “lado podre” das Forças Armadas por envolvimento em “falcatrua” no governo Jair Bolsonaro.

Em dura nota, o Ministério da Defesa e os comandantes das três Forças acusaram Aziz de desrespeitar os militares e generalizar “esquemas de corrupção”.

Ainda no plenário da CPI, o presidente da comissão afirmou que está sendo “intimidado” pelos militares. Aziz aproveitou ainda para criticar o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, que tentou apaziguar os ânimos e rendeu elogios às Forças Militares. A atitude de Pacheco irritou Aziz, que considerou seu posicionamento “moderado demais”.

– E a minha fala hoje foi pontual, não foi generalizada. E vou afirmar aqui o que eu disse lá na CPI, novamente: podem fazer 50 notas contra mim; só não me intimidem, porque, quando estão me intimidando, e vossa excelência [senador Rodrigo Pacheco] não falou isto –, estão intimidando esta Casa aqui. Vossa excelência não se referiu à intimidação que foi feita pela nota das Forças Armadas – reclamou o presidente da CPI.

O senador ainda chegou a relembrar a época em que foi governador do Amazonas e relatou o bom relacionamento que tinha com as Forças Armadas.

– Ninguém teve uma relação melhor que eu, como governador, com as Forças Armadas no meu estado. Mas convivi com grandes generais, como o general Villas Bôas, grande comandante do Exército Brasileiro. Grande comandante! O que eu disse foi pontual, que há muito tempo membros das Forças Armadas, e alguns reformados, não se falava um ai das Forças Armadas, e hoje um ex-sargento da Aeronáutica foi depor e foi preso, porque mentiu, foi o que pediu US$ 1 por vacina, presidente. O coronel Elcio, que está lá hoje, foi o homem da Covaxin – tentou se explicar, sem sucesso.

Leia também1 Ministro da Defesa e comandantes das Forças Armadas repudiam declarações de Aziz
2 Aziz acusa militares do governo de corrupção durante CPI
3 Senadores criticam repasse de dados de Dominghetti à Globo
4 Na CPI, Omar Aziz dá voz de prisão a ex-diretor da Saúde
5 Aziz quer Witzel em programa de proteção às testemunhas

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.