Leia também:
X Mourão não vê problema em aprovar Auxílio acima do teto

Aziz: ‘Bolsonaro cometeu crimes sérios, mas não genocídio’

"Até agora eu não fui convencido", disse o presidente da CPI

Monique Mello - 20/10/2021 12h44 | atualizado em 20/10/2021 13h10

Omar Aziz não atribui crime de genocídio a Bolsonaro Foto: Agência Senado/Edilson Rodrigues

O presidente da CPI da Covid, o senador Omar Aziz (PSD-AM), comentou sobre as acusações atribuídas ao presidente Jair Bolsonaro no relatório da comissão.

De acordo com o senador, Bolsonaro cometeu “crimes sérios” durante a pandemia da Covid-19, mas genocídio não é um deles.

– O Bolsonaro fez aglomerações propositadamente, o Bolsonaro pregou a imunização de rebanho, pregou medicamento não comprovado, foi charlatão prescrevendo medicamento sem eficácia… Então, ele tem crimes sérios, só que o genocídio é muito mais sério que isso tudo. Eu preciso ser convencido de que houve [genocídio]. Até agora, eu não fui – disse Aziz em entrevista ao jornal O Globo.

Na proposta de relatório final da CPI da Covid, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) sugeria indiciar Bolsonaro por 11 crimes, como homicídio qualificado, prevaricação, genocídio de indígenas e crime contra a humanidade.

No relatório final divulgado nesta quarta-feira (20), não consta mais a acusação contra o presidente por genocídio. Mudanças foram feitas após atritos entre os senadores do chamado G7 da comissão.

Outra mudança foi a retirada de Silas Malafaia da lista dos indiciados. De acordo com Aziz, ele foi um dos que votaram para a saída do pastor da relação final.

O texto final da CPI da Covid deverá ser votado na próxima terça-feira (26).

 

Leia também1 Malafaia fica de fora do relatório final da CPI e ironiza Calheiros
2 "Não estou preocupado", afirma Queiroga sobre relatório da CPI
3 Confira a íntegra do relatório que será apresentado na CPI
4 Senadores devem apresentar três relatórios paralelos na CPI
5 Isolado, Renan recua sobre acusar Bolsonaro de genocídio

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.