Augusto Aras se comprometeu com os valores cristãos

Anajure, em carta, pediu ao Ministério Público que se limite às suas funções

Pleno.News - 11/09/2019 10h35

Augusto Aras Foto: Ascom /TSE/ Roberto Jayme

Augusto Aras, indicado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, para ser o procurador-Geral da República, foi o único dos candidatos ao cargo que se comprometeu com os valores de uma carta escrita pela Associação Nacional de Juristas Evangélicos (Anajure).

O documento trata de assuntos como ideologia de gênero, aborto, sexualidade, liberdade religiosa, acolhimento de refugiados, conceito de família, combate à corrupção, separação entre os três Poderes e ensino confessional. A Anajure também criticou o chamado “ativismo judicial” e pediu que o Ministério Público se limite às suas funções.

De acordo com o jornal O Estado de São Paulo, Aras teria se declarado como um conservador e acolheu itens indicados pela carta. Ele também apoiou a manutenção dos símbolos religiosos em repartições públicas, monumentos públicos com conotação religiosa, feriados religiosos e a menção a Deus na Constituição.

LEIA TAMBÉM+ Moro manda apurar inclusão de Hélio Negão em inquérito
+ Julgamento no TSE mantém Rosinha Garotinho inelegível
+ Eduardo Bolsonaro defende fala de Carlos: 'Nada de mais'


Clique para receber notícias
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo