Leia também:
X Caio Paes de Andrade é eleito novo presidente da Petrobras

Assessoria de Tebet é bloqueada ao tentar alterar Wikipédia

Gabinete da senadora fala em "informações equivocadas"

Pleno.News - 27/06/2022 13h31 | atualizado em 27/06/2022 14h14

Simone Tebet Foto: Roque de Sá/Agência Senado

Uma assessora do gabinete da senadora Simone Tebet (MDB-MS), pré-candidata à Presidência, tentou editar o verbete da parlamentar na página colaborativa Wikipédia, mas acabou bloqueada pela plataforma. As alterações diziam respeito, principalmente, a sua atuação em relação à demarcação de terras indígenas. Em nota, a assessoria da senadora disse que as informações disponíveis são “equivocadas”.

O trecho que gerou o problema diz que “um dos principais projetos defendidos por Simone Tebet no Senado Federal trata da suspensão das demarcações de terras indígenas e pagamento de indenizações para fazendeiros”. O texto disponível no site também traz que há conflito de interesse no caso, porque “a senadora é proprietária de uma fazenda em Caarapó, Mato Grosso do Sul”.

Além disso, o texto da Wikipédia relata que “Eduardo Rocha, marido de Simone Tebet e deputado estadual no MS, foi um dos nomes mais atuantes da Comissão Parlamentar de Inquérito aberta na Assembleia Legislativa do MS para investigar o Cimi”. O Conselho Indigenista Missionário (Cimi) é uma organização ligada à Igreja Católica e direcionada à defesa dos povos indígenas.

SUBSTITUIÇÃO
Em nota, a assessoria da senadora diz que tenta desde 2021 atualizar a página e alterar o que chamou de “informações equivocadas”, que teriam sido baseadas em notícias da empresa que apresentariam “teor enviesado e negativamente tendencioso”. Afirma também que a “verdade dos fatos” pode ser verificada nos documentos do Senado. A nota conclui que a senadora “enviará protesto formal à plataforma para que corrija essa injustiça”.

A assessoria da senadora mostrou o texto que teria apresentado para substituir o presente hoje na Wikipédia. O novo conteúdo ameniza o tom crítico. A primeira diferença está no título da secção, suprimindo o termo “suspensão” e mantendo apenas “Demarcações de terras indígenas”. Além disso, o texto apresenta uma versão mais extensa, com uma contextualização que afirma que as ações da senadora teriam como objetivo “pacificar o problema histórico devido à presença de não índios em terras indígenas”.

Há ainda a indicação de que, de fato, Simone Tebet teria apresentado uma sugestão para que a indenização aos proprietários que tivessem sua terra desapropriada fosse paga em dinheiro, e não em precatórios. A assessoria alega que isso seria fundamental para pequenos produtores reconstruírem sua vida em outro lugar. A proposta surgiu como emenda à PEC 71/2011, do senador Paulo Bauer (PSDB/SC).

O texto também não nega que a senadora “chegou a apresentar projeto de lei para suspender, por período determinado, a possibilidade de estudos antropológicos em áreas conflagradas”, mas acrescenta que ela retirou o projeto de tramitação e pediu seu arquivamento, ainda em 2015.

Além disso, a assessoria do gabinete da senadora afirmou que esses não são os principais projetos da senadora e que a Wikipédia não menciona, por exemplo, sua atuação na CPI da Covid-19 ou como líder da bancada feminina no Senado.

Para a Wikipédia, no entanto, as alterações feitas pela equipe de Simone Tebet, em seu próprio verbete, configuram conflito de interesse, pois a favoreceriam. A edição dos verbetes da Wikipédia é livre, mas deve atender regras estabelecidas pela comunidade.

Trecho do verbete que gerou impasse entre Simone Tebet e Wikipédia Foto: Reprodução

*AE

Leia também1 Bolsonaro revela conversa com Moraes: "Ele não me entende"
2 Presidente do Banco Central sobre inflação: "O pior já passou"
3 "STF tem protagonismo no Brasil", diz Barroso em Lisboa
4 Justiça derruba liminar sobre incluir questão LGBT+ no Censo
5 41% consideram trabalho do STF negativo, aponta PoderData

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.