Leia também:
X STF: Lira diz que tentará reverter decisão do piso da enfermagem

Aras se reúne com a Abin para tratar do 7 de Setembro

A PGR não divulgou detalhes da reunião

Pleno.News - 05/09/2022 21h40 | atualizado em 06/09/2022 11h46

Procurador-geral da República, Augusto Aras Foto: EFE / Joédson Alves

O procurador-geral da República Augusto Aras se reuniu, nesta segunda-feira (5), com representantes da Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para conversar sobre as manifestações previstas para o feriado do 7 de Setembro, quando será comemorado o bicentenário da Independência.

O encontro aconteceu em Brasília e, segundo apurou o Estadão, envolveu conversas sobre segurança que já haviam sido travadas com outras instituições.

A PGR não divulgou detalhes da reunião.

Aras está monitorando os atos programados para o feriado. No ano passado, manifestações de aliados do presidente Jair Bolsonaro foram marcadas por críticas a instituições brasileiras. Bolsonaro chegou a subir o tom em discurso a apoiadores e falou em descumprir decisões do Supremo Tribunal Federal (STF).

Para este ano atos com a presença de Bolsonaro também estão previstos. Eles devem acontecer na praia de Copabacana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, e em Brasília. Relatórios da Abin alertaram para o risco de acirramento dos protestos com infiltração de radicais.

Os governos do Rio de Janeiro e do Distrito Federal montaram esquemas especiais de segurança. O STF também montou barreiras para impedir o acesso à sede e irá manter a localização dos ministros em sigilo.

*AE

Leia também1 Bolsonaro usa inserções na TV para fazer nova convocação ao 7/9
2 Piso salarial da enfermagem vai a julgamento na sexta-feira
3 Mourão após Fachin limitar decretos: "Judiciário extrapola"
4 TSE manda Eduardo Bolsonaro apagar posts com críticas a Lula
5 STF: PGR quer Moraes fora de inquérito sobre vacina e Aids

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.