Leia também:
X TRF-3: Justiça Federal de SP é competente para julgar Lulinha

Após ter o mandato cassado, Francischini irá recorrer ao STF

Nas redes sociais, ele disse que não irá desistir

Henrique Gimenes - 28/10/2021 18h14 | atualizado em 28/10/2021 19h15

Fernando Francischini disse que irá ao STF para reaver seu mandato de deputado estadual Foto: Alex Ferreira / Câmara dos Deputados

Após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) cassar seu mandato por “fake news”, o deputado estadual pelo Paraná, Fernando Francischini (PSL), informou que não irá desistir do cargo e que vai acionar o Supremo Tribunal Federal (STF). A afirmação foi feita em um vídeo publicado nas redes sociais.

Francischini teve o mandato cassado por causa de uma live feita durante o primeiro turno das eleições em 2018. Na ocasião, ele disse que as urnas eletrônicas estavam fraudadas para impedir a eleição do então candidato Jair Bolsonaro.

Inicialmente, o Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR) absolveu o parlamentar, justificando que a live em questão não teve alcance suficiente para influenciar o pleito. O Ministério Público Eleitoral (MPE), porém, recorreu ao TSE, que acabou votando pela cassação.

Ao comentar a decisão, o parlamentar disse que hoje é um “dia histórico na luta pelas liberdades individuais”.

– Lamento demais essa decisão, que afeta mandatos conquistados por eleitores. Reassumo minha condição de delegado da Polícia Federal, mas não vou desistir. Vamos recorrer e reverter essa decisão no STF – disse.

https://twitter.com/Francischini_/status/1453752413400309778

Leia também1 TSE cassa mandato do deputado Francischini por fake news
2 Renan Calheiros rebate críticas de Lira sobre o relatório da CPI
3 Flávio Bolsonaro irá acionar a PGR contra Renan Calheiros
4 Bolsonaro: "Eu sou o servidor público temporário número um”
5 'Além de péssimo entrevistador, não sabe elaborar uma pergunta'

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.