Leia também:
X Pazuello deve voltar ao governo Bolsonaro em breve, diz jornal

Após insulto a Bolsonaro, Aras quer ‘enquadrar’ Danilo Gentili

Procurador-geral da República quer incluir o humorista no inquérito de atos antidemocráticos

Monique Mello - 17/04/2021 18h19 | atualizado em 17/04/2021 18h33

Augusto Aras e Danilo Gentili Foto: Reprodução

O procurador-geral da Republica Augusto Aras reforçou ao STF o pedido de incluir Danilo Gentili no inquérito dos atos antidemocráticos.

Na petição, o procurador apresentou um tuíte do humorista sobre uma declaração de Jair Bolsonaro durante a live de quinta-feira:

– Quem diz que só sai da cadeira de presidente morto é ditador. E ditador a gente sabe o que merece – afirmou Gentili.

Gentili também ironizou o presidente, utilizando uma foto de Benito Mussolini, líder fascista italiano, morto e pendurado de cabeça para baixo.

Em sua manifestação, Aras afirmou que o apresentador “mais uma vez, manifestou-se na rede social Twiter de forma a hostilizar a Presidência da República, instituição democrática por excelência”.

– Em face do exposto, considerando, sobretudo, que o mencionado discurso de ódio direcionado à Câmara dos Deputados, e agora à Presidência da República, configura ação ilegal e contrária ao Estado Democrático de Direito, o procurador-geral da República manifesta-se pelo reconhecimento da conexão entre o presente caso e os fatos apurados no inquérito que investiga atos e manifestações antidemocráticas e atentatórias às instituições do Estado (INQ 4s828) – diz a petição.

 

Leia também1 Gentili se reúne com MBL para discutir possível candidatura
2 Gentili e SBT são condenados a pagar R$ 30 mil a fã de Avril Lavigne
3 MBL "testa" Gentili em pesquisa, que empata com Huck e Doria
4 Após correr risco de vida, Danilo Gentili compartilha o evangelho
5 Sergio Moro diz que votaria em Danilo Gentili para presidente

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.