Leia também:
X Zé Trovão anuncia fim da paralisação dos caminhoneiros

Após cinco dias, caminhoneiros deixam Esplanada, em Brasília

Manifestantes protestavam pelo impeachment de Moraes

Pierre Borges - 10/09/2021 15h16 | atualizado em 14/10/2021 12h16

Pleno.News Foto: Arte/Pleno.News

Depois de cinco dias de protestos contra o Supremo Tribunal Federal (STF), a Esplanada voltou a ser liberada para trânsito nesta sexta-feira (10). Ainda há alguns caminhoneiros no local, mas, de acordo a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, eles estão saindo voluntariamente, e a previsão é de que a área esteja toda desocupada até o final do dia de hoje. O caminhoneiro Zé Trovão já anunciou o fim das paralização.

As vias N1 e S1, que ficam entre a Catedral e a Avenida José Sarney, voltaram a ter a circulação de veículos permitida. No entanto, o acesso à Praça dos Três Poderes continua fechado. A Secretaria informou, por meio de nota, que “a área central de Brasília permanece sob monitoramento da Secretaria de Segurança Pública (SSP/DF) e [de] forças de segurança locais, por meio do Centro Integrado de Operações de Brasília (Ciob) e equipes em campo” e que “o objetivo é garantir a segurança de todos que circulam na região. O policiamento permanece reforçado”.

A liberação ocorre dois dias antes de manifestações convocadas pelo Movimento Brasil Livre (MBL) pelo impeachment de Bolsonaro. Além de Brasília, os atos estão programados para ocorrer em São Paulo (SP), Belo Horizonte (MG) e Rio de Janeiro (RJ).

Os caminhoneiros começaram a se desmobilizar no final da tarde de ontem (9). A movimentação coincidiu com a nota de Bolsonaro em que ele afirma não ter a intenção de agredir as instituições. Alguns manifestantes pretendiam continuar no local até o dia 20, mas o Superior Tribunal de Justiça (STJ) negou, nesta sexta, o pedido de habeas corpus coletivo solicitado pelos caminhoneiros.

Líderes do Movimento Brasil Verde Amarelo, um dos grupos que organizaram as manifestações governistas de 7 de setembro, divulgaram um vídeo nas redes sociais em que anunciam a saída dos caminhoneiros da capital federal. A mensagem foi divulgada na noite de ontem, após reunião com Bolsonaro.

– A palavra de ordem agora é a seguinte: vamos nos manter em vigília nas nossas bases. Nós, que estamos aqui, em Brasília, vamos voltar para as nossas cidades – afirmou Jefferson Rocha, diretor jurídico da Associação Nacional de Defesa dos Agricultores, Pecuaristas e Produtores da Terra (Andaterra) e um dos porta-vozes do Movimento Brasil Verde Amarelo.

O apoiador de Bolsonaro disse que não viu como um recuo a nota divulgada pelo presidente.

– O que muitas pessoas veem como um recuo, nós estamos encarando, depois dessa reunião com o presidente, como um passo estratégico em uma medida que será tomada e que vai restabelecer no nosso país o Estado de Direito, que é o que almejamos – disse.

O trânsito na Esplanada estava fechado desde a última segunda-feira (6), véspera das manifestações do 7 de setembro em apoio a Bolsonaro. Na noite de segunda, apoiadores do presidente furaram o bloqueio da Polícia Militar do Distrito Federal e invadiram a Esplanada.

Os protestos dos caminhoneiros, que contaram com bloqueios em vários estados, começaram durante as manifestações do 7 de setembro. A pauta dos manifestantes era o impeachment de ministros do Supremo Tribunal Federal, em especial Alexandre de Moraes.

Uma nota do Ministério da Infraestrutura, divulgada na manhã desta sexta, informou que não há bloqueios nas estradas e que apenas três estados seguem com protestos de caminhoneiros. No auge da manifestação, os protestos atingiram 16 estados.

*Com informações da AE

Leia também1 Zé Trovão anuncia fim da paralisação dos caminhoneiros
2 Greta Thunberg fala ao Senado e critica o governo Bolsonaro
3 Prisão de Oswaldo Eustáquio foi revogada, afirma Magno Malta
4 Temer sobre tensão entre STF e Bolsonaro: "Coisa do passado"
5 Wilian Nascimento lança álbum que reúne seus maiores sucessos

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.