Leia também:
X Pai esquece bebê dormindo dentro de carro e criança morre

Após áudio vazado, Augusto Nardes seguirá fora do TCU

Ministro prolongou sua licença por mais 15 dias

Thamirys Andrade - 08/12/2022 16h56 | atualizado em 08/12/2022 17h26

Ministro Augusto Nardes Foto: PR/Marcos Corrêa

O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Augusto Nardes, decidiu prolongar sua licença e ficará afastado por mais 15 dias. Ele está fora da Corte desde o último dia 21, após o vazamento de um áudio em que ele defendia uma suposta articulação para impedir a posse do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

O áudio foi enviado por Nardes a grupos da WhatsApp. Na gravação, o ministro do TCU chegou a dizer que estava “acontecendo um movimento muito forte nas casernas” e que seria uma “questão de horas, dias, no máximo, uma semana, duas, talvez menos do que isso”, para um “desenlace bastante forte na Nação”.

– Demoramos, mas felizmente acordamos. O que vai acontecer agora? (…) Vamos perder? Sim, vamos perder alguma coisa, mas a situação para o futuro da nação poderá se desencadear de forma positiva – disse ele.

Desde que o áudio veio a público, o ministro tirou licença da Corte. De acordo com o colunista Igor Gadelha, do site Metrópoles, outros ministros do TCU teriam considerado que Nardes cometeu crime ao enviar o áudio em grupos do aplicativo de mensagens.

Como resultado, a Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público da Câmara dos Deputados aprovou um requerimento para que o ministro explique as declarações que fez.

Leia também1 TSE: Moraes libera contas de deputados bloqueados nas redes
2 Confira a lista com os possíveis candidatos de Lula ao STF
3 Segurança de Lula pediu a prisão do empresário Milton Baldin
4 Deputado acionará Conselho de Ética por bandeira com palavrão
5 Sergio Moro reage à ação do PL para cassar o seu mandato

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.