Leia também:
X IstoÉ faz “cópia tosca” de capa da Time com Trump e ‘bajula’ Moro

Anvisa afirma que seus diretores receberam ameaças de morte

Agência disse que as ameaças são atreladas à hipótese de eventual aprovação de vacinas contra a Covid para crianças

Paulo Moura - 29/10/2021 15h01 | atualizado em 29/10/2021 16h16

Fachada do edifício sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)
Fachada do edifício-sede da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) divulgou uma nota, na tarde desta sexta-feira (29), na qual diz que seus cinco diretores receberam, às 8h31 de quinta-feira (28), um e-mail com ameaças de morte. Segundo o comunicado da agência reguladora, as ameaças são atreladas à hipótese de eventual aprovação de vacinas contra a Covid-19 para crianças entre 5 a 11 anos.

– Além dos diretores, também constam como alvo das citadas ameaças de morte instituições escolares do estado do Paraná – afirma um trecho da nota.

A Anvisa destacou que acionou imediatamente autoridades policiais e o Ministério Público, “para adoção das medidas cabíveis”, e que também foram enviados ofícios com a informação ao Supremo Tribunal Federal (STF), ao Ministério da Justiça e aos presidentes da Câmara, do Senado e da República.

Na última quarta-feira (27), a farmacêutica Pfizer informou que pedirá autorização à Anvisa para o uso de sua vacina contra a Covid em crianças. Em agosto, a agência reguladora rejeitou o uso da CoronaVac para esta mesma faixa etária.

Leia também1 STF rejeita "plano B" da cúpula da CPI para julgar Bolsonaro
2 IstoÉ faz "cópia tosca" de capa da Time com Trump e 'bajula' Moro
3 Pais alertam sobre série infantil que mostra decapitação
4 Alcolumbre nega 'rachadinhas' e fala em campanha difamatória
5 Zélia Duncan debocha da Bíblia: "Pode sapatão e pode v****"

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.