Leia também:
X Justiça suspende decretos que pediam orações contra Covid

Antropóloga critica Bolsonaro por beber leite. Eduardo rebate

"Se fosse maconha estava tudo certo...", ironizou o filho do presidente

Rafael Ramos - 30/05/2020 14h13 | atualizado em 30/05/2020 14h14

Gesto de Bolsonaro tomar um copo de leite foi associado ao nazismo Foto: Reprodução

Um simples gesto em tomar um copo de leite foi o suficiente para que o presidente Jair Bolsonaro fosse associado mais uma vez ao movimento nazista por parte de seus opositores. Durante sua live transmitida na noite desta quinta-feira (29), o chefe do Executivo citou o Desafio do Leite, criado pela Associação Brasileira dos Produtores de Leite (Abraleite), como forma de incentivar o consumo e ajudar os produtores e a economia.

Entretanto, em matéria publicada pela revista Fórum, a antropóloga Adriana Dias afirmou que “o leite é o tempo todo referência neonazi”. Formada pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Adriana acusou Bolsonaro de fazer um “jogo de cena”.

– Tomar branco, se tornar branco. Ele vai dizer que não é, que é pelo desafio, mas é um jogo de cena, como eles sempre fazem – afirmou a antropóloga.

Pesquisador do “bolsonarismo”, o também antropólogo David Nemer reforçou as insinuações e chamou o presidente de extremista e tosco. Ele ainda afirmou que o atual governo é motivado pelo ódio.

– Nacionalistas brancos fazem manifestações bebendo leite para chamar a atenção para um traço genético conhecido por ser mais comum em pessoas brancas do que em outros – a capacidade de digerir lactose quando adultos. É uma tentativa racista para se embasar em ciência para diferenciar e justificar a raça branca – argumentou Nemer.

Uma das idealizadores do Desafio do Leite, a deputada federal Aline Sleutjes viu tal associação como algo inacreditável.

– Eu, Geraldo da Abraleite e Reinaldo de Boer desafiamos o presidente Jair Bolsonaro para o Desafio do Leite: tomar um copo de leite para incentivar o consumo, ajudar os produtores e a economia. Alguns “doutores doentes” dizem que foi um gesto nazista. Morro e não vejo tudo, covardes! – comentou Aline.

Eduardo Bolsonaro rebateu declarações de antropóloga Foto: Reprodução

O deputado federal e filho do presidente, Eduardo Bolsonaro, também se posicionou por suas redes sociais e criticou as declarações dos antropólogos.

– A revista Fórum achou uma “especialista em neonazismo” para denegrir Bolsonaro, que apenas tomou leite a pedido de produtores para incentivar o consumo da bebida saudável. Se fosse maconha estava tudo certo… – ironizou o parlamentar.

Leia também1 Justiça suspende decretos que pediam orações contra Covid
2 Presidente Jair Bolsonaro viaja de helicóptero para Goiás
3 RJ: Secretário de Estado de Polícia Civil deixa o cargo
4 Cristiane Brasil critica STF: "Querem calar os cidadãos"
5 Bolsonaro diz que não cogita indicar Aras ao STF até 2022

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.