Leia também:
X Brasil recebe 2ª edição do maior evento conservador do mundo

Alvo de Moraes, agricultor do MT manda aviso ao ministro do STF

Antônio Galvan, presidente da Aprosoja Brasil, usou trator parar ir com outros agricultores à sede da PF em Sinop

Henrique Gimenes - 24/08/2021 14h17 | atualizado em 24/08/2021 15h34

Antônio Galvan, presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja Foto: Reprodução/Redes Sociais

O produtor rural Antônio Galvan, presidente da Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja Brasil), decidiu enviar um recado ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), na segunda-feira (23). O agricultor foi à sede da Polícia Federal (PF) de Sinop, no Mato Grosso (MT), em cima de um trator e levou outros agricultores com ele.

Galvan é um dos alvos de um inquérito no STF que investiga atos antidemocráticos. Ele é investigado por uma participação em uma reunião onde foi discutida uma “invasão” ao Supremo. Também constam no mesmo inquérito o cantor Sérgio Reis e o deputado federal Otoni de Paula (PSC-RJ).

No local, o presidente da Aprosoja Brasil parou para fazer uma manifestação e disse que os policiais que cumpriram mandado de busca e apreensão não encontraram nada ilício em sua residência. O mandado foi expedido pelo ministro Alexandre de Moraes

– A Polícia Federal esteve na minha casa, em Sinop, e os policiais foram muito gentis. Nada encontraram, nada levaram – explicou.

Galvan não havia sido intimado a depor, mas informou que pretende se apresentar à PF em Brasília.

Leia também1 Pastores fazem 'mega chamado' para ato no dia 7 de setembro
2 Rodrigo Pacheco diz que o Brasil "precisa de presidente"
3 STF: Toffoli nega pedido feito por procuradores contra Aras
4 Bispo alerta sobre STF: Em breve não poderemos declarar nossa fé
5 Moraes autoriza novos depoimentos em caso sobre 'interferência' de Bolsonaro na PF

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.