Leia também:
X Maia suspende tramitação de pacote anticrime de Moro

Alexandre Frota comenta lista divulgada pelo Estadão

Declaração do parlamentar desagradou os seguidores nas redes sociais

Ana Luiza Menezes - 18/03/2019 20h52 | atualizado em 19/03/2019 11h50

Deputado Alexandre Frota Foto: Reprodução/Facebook

O deputado federal Alexandre Frota (PSL-SP) usou as redes sociais para comentar a lista, feita pelo jornal O Estado de S. Paulo, com nomes de sites e influenciadores digitais que estariam a serviço da direita no Brasil. Para surpresa de seus apoiadores, ele criticou as pessoas que seguem a linha de pensamento do filósofo Olavo de Carvalho.

– Parabéns para quem fez a lista. Quem não segue o mantra é atacado covardemente pelos ‘Olavetes’. Seguem aí os nomes. Sugestão: limpe da sua rede, você viverá muito mais feliz – declarou ele, no Twitter.

Declaração de Frota no Twitter Foto: Reprodução

Como resultado, seguidores ficaram desgostosos. A maioria acusou Frota de ter apoiado o presidente Jair Bolsonaro apenas para ser eleito ao cargo político.

– O Frota queria estar na lista, mas até o Estadão sabe que ele é vira casaca – escreveu uma usuária.

– Se voltou contra quem te elegeu?! Que tipo de traição é essa, cara? Pegou carona na força de Bolsonaro pra se eleger e agora tá de frescura dando a mão para a esquerda? – observou outra.

Em sua defesa, Frota destacou que não está contra Bolsonaro, mas que não apóia Olavo. Ele compartilhou um post do pastor Silas Malafaia, se mostrando contrário ao que Eduardo Bolsonaro afirmou sobre o filósofo ter sido o maior responsável pela vitória de Jair.

Frota compartilhou declarações do pastor Silas Malafaia Foto: Reprodução

Leia também1 Estadão vira piada após divulgar 'lista negra' da direita
2 Maia suspende tramitação de pacote anticrime de Moro
3 Brasil e EUA assinam acordo por uso da base de Alcântara

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.