CORONAVÍRUS
- Tudo o que você precisa saber
-->
Leia também:
X Damares fará isolamento após encontrar político com Covid

Ala evangélica rejeita nome de Renato Feder para o MEC

Bolsonaro diz que ainda não há nada decidido

Gabriela Doria - 03/07/2020 18h33 | atualizado em 03/07/2020 19h51

Renato Feder é rejeitado por apoiadores de Bolsonaro Foto: Reprodução

A ala evangélica do governo Jair Bolsonaro reagiu negativamente à possível nomeação de Renato Feder ao Ministério da Educação (MEC). Isto porque Feder não corresponde ao perfil ideológico exigido pelos apoiadores do presidente, como tinha Abraham Weintraub, por exemplo.

Entre os deméritos está a estreita relação com o governador João Doria e o empresário Jorge Paulo Lemann, além da simpatia que exerce no apresentador Luciano Huck, que elogiou sua nomeação.

Um dos opositores mais ferrenhos de Feder é o pastor Silas Malafaia. Assim que soube do convite, Malafaia entrou em contato com o presidente para entender a nomeação. Influente no governo, o religioso se manifestou pela nomeação de um gestor com “o mesmo viés que ele acredita”.

Já nesta sexta-feira (3), Bolsonaro teria dito a Malafaia que a decisão ainda não estava tomada.

– Eu espero que ele coloque alguém que tenha o viés que ele acredita, ele não ganhou para fazer graça para quem quer que seja, esquerda, centrão nem ninguém. Espero que o presidente coloque alguém de um perfil que defenda sua ideologia, que tenha competência, formação. Não pode ser alguém que tenha dúvida. Estou vendo (na mídia) um cara que é apoiador de [João] Doria, de [Jorge Paulo] Lemann, que não tem nada a ver com o presidente, queria entender se um cara desse vai ser ministro. É minha opinião pessoal – afirmou.

O favorito entre os evangélicos e até de parte da ala militar é Anderson Correia, ex-presidente da Capes e atual reitor do ITA (Instituto Tecnológico da Aeronáutica). Correia é evangélico e tem o ministro Augusto Heleno como um de seus principais fiadores no governo. Sobre o nome de Correia, Malafaia se mostrou positivo.

– Se o presidente achar que tem que ser o Anderson, que tem perfil ideológico e que é de altíssima formação, se for ele, ótimo. Quero saber se o cara tem currículo. Nunca me posicionei dizendo “tem que ser porque ele é evangélico”. Tem que ter competência, nível , tudo isso que se espera. Ele (Anderson) é um bom nome, digo isso sem conhecer os outros nomes (além de Feder) – disse o pastor.

Leia também1 Renato Feder é escolhido como novo ministro da Educação
2 Bolsonaro irá sobrevoar áreas atingidas por ciclone bomba
3 Bolsonaro sanciona lei que obriga utilização de máscaras
4 Oswaldo Eustáquio nega ter articulado atos contra o STF
5 Bolsonaro celebra transmissão do Flamengo: "Alforria"

Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo