Leia também:
X Gabriel Monteiro expõe coronel por não apreender caça-níqueis

Ala do Senado diz que reeleição de Alcolumbre é inconstitucional

Consultoria afirmou que legislação sobre reeleição na Casa é clara

Pleno.News - 24/09/2020 14h26 | atualizado em 24/09/2020 14h27

Presidente do Senado Davi Alcolumbre avalia tentar reeleição Foto: Agência Senado/Pedro França

Uma análise da Consultoria Legislativa do Senado afirma que a reeleição do atual presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM-AP), é inconstitucional. A interpretação será usada por adversários para reagir à tentativa do parlamentar de ser reconduzido ao comando do Congresso em fevereiro do próximo ano.

De acordo com a nota, assinada pelo consultor Arlindo Fernandes de Oliveira, é “inequívoco” que a reeleição é proibida dentro da mesma legislatura, ou seja, sem uma nova eleição para renovação dos mandatos no Legislativo federal. O documento não é uma opinião oficial do Senado, mas serve como subsídio para o posicionamento dos parlamentares sobre o tema. A análise foi feita a pedido do senador Alessandro Vieira (Cidadania-SE), que faz oposição a Alcolumbre no Senado.

– É conhecido o critério adotado tanto pelo Senado Federal quanto pela Câmara dos Deputados para a eleição de suas mesas, e esse critério, embora tenha comportado mudanças, nos trinta anos de vigência da Constituição de 1988 e do regime democrático que ela instituiu, nunca comportou a reeleição dentro de uma mesma legislatura, após o exercício pleno de um mandato – diz a nota do consultor legislativo.

De acordo com o técnico do Senado, a reeleição do presidente da Casa não encontra respaldo na Constituição nem no regimento interno da Casa. A Carta Magna estabelece que os integrantes das Mesas Diretoras da Câmara e do Senado serão eleitos para um mandato de dois anos, “vedada a recondução para o mesmo cargo na eleição imediatamente subsequente”. O regimento repete a mesma regra.

PRINCÍPIOS REPUBLICANOS
Além das questões técnicas, a nota da consultoria aponta a renovação no poder como um princípio republicano. O técnico também aponta a necessidade de segurança jurídica nas normas eleitorais para não se alterar a regra no meio do jogo e beneficiar quem está no poder. Mesmo que a Constituição seja alterada para permitir a reeleição, senadores questionam se a mudança poderá valer para 2021 e beneficiar Alcolumbre na disputa.

*Estadão

Leia também1 Candidatura de Filipe Sabará, do Novo, é suspensa pelo partido
2 Pazuello publica nova portaria sobre aborto em casos de estupro
3 Mesários e eleitores temem contaminação nas Eleições 2020
4 Bolsonaro sanciona projeto de lei que altera cobrança do ISS
5 SP: Apoio de Bolsonaro coloca Russomanno em 1º na disputa

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.