Leia também:
X Justiça suspende decisão que mandava Cunha devolver carros

Acusado de ser fantasma, sócio de Juscelino Filho é exonerado

Gustavo Marques Gaspar é sócio do haras onde o ministro cria cavalos de raça

Pleno.News - 16/03/2023 08h19 | atualizado em 16/03/2023 11h13

Ministro Juscelino Filho, chefe da pasta das Comunicações Foto: MCom/Isac Nóbrega

Gustavo Marques Gaspar, sócio do haras onde o ministro das Comunicações, Juscelino Filho, cria cavalos de raça, foi exonerado do Senado em meio a acusações de que ele seria um funcionário fantasma em Brasília e não dava expediente onde deveria. O empresário recebia um salário de R$ 17,2 mil, mas no local onde deveria trabalhar, ninguém o conhecia.

Na última terça-feira (14) o gabinete do senador Weverton Rocha (PDT-MA), para quem Gaspar deveria prestar serviços, afirmou que o funcionário pediu para ser exonerado. Segundo a nota, o empresário deixou o cargo por “não se sentir confortável com a superexposição”.

A exoneração foi publicada no Boletim Administrativo do Senado na última segunda (13). A portaria 2.458, que traz a decisão, foi assinada pelo diretor-executivo de gestão, Marcio Tancredi. O sócio do haras havia sido nomeado para o cargo de assistente parlamentar sênior no Instituto Legislativo Brasileiro e estava lotado na liderança do PDT.

O jornal O Estado de São Paulo esteve na liderança do PDT no Senado há duas semanas, onde Gaspar deveria dar expediente. Na ocasião, servidores disseram que não conheciam o suposto funcionário. Diante do constrangimento, o responsável pelo gabinete, Silvio Saraiva, admitiu que ele não trabalhava no local onde estava lotado.

Gaspar foi realocado para a Segunda Secretaria do Senado, comandada desde fevereiro pelo senador Weverton (PDT-MA), dois dias após a reportagem procurá-lo. O parlamentar é compadre de Juscelino e um dos fiadores da indicação para a pasta das Comunicações, ao lado do colega Davi Alcolumbre (União Brasil-AP).

Homem de confiança do ministro na política e nos negócios, Gustavo é irmão de Tatiana Gaspar, contratada pelo ministro como assessora especial das Comunicações, com salário de R$ 13,2 mil. Quando deputado, Juscelino Filho já havia empregado o pai de Gaspar, de 80 anos, com salário de R$ 15,7 mil.

*AE

Leia também1 Justiça suspende decisão que mandava Cunha devolver carros
2 Petição online demonstra apoio a Nikolas Ferreira
3 Nikolas Ferreira recebe ex-trans e pede apoio da esquerda
4 Cremerj cassa registro de Dr. Jairinho de forma definitiva
5 Protocolado o pedido de CPI do MST; decisão agora cabe a Lira

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Canal
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.