Leia também:
X Federalizar caso Marielle pode afetar a investigação, diz MPRJ

A ministra e as milícias; mais nomes surgem no rol de amigos

Ministra do Turismo se vê no olho do furacão em meio a tantas denúncias de envolvimento com milicianos

Marcos Melo - 05/01/2023 20h57 | atualizado em 06/01/2023 11h31

Waguinho, Daniela e Márcio Pagniez Foto: Reprodução / Facebook

A ministra do Turismo, Daniela Carneiro (União Brasil-RJ), tem estreitas relações políticas com milicianos. Antes se pensava que era só um, o ex-policial militar Juracy Alves Prudêncio, conhecido como Jura.

Agora outros nomes surgiram no rol de relacionamentos da ministra: o terceiro-sargento bombeiro Márcio Pagniez e Fábio Augusto de Oliveira Brasil, o Fabinho Varandão.

MÁRCIO PAGNIEZ
Pagniez, que foi preso em 2019, tem dois parentes nomeados na prefeitura de Belford Roxo, na Baixada Fluminense, na gestão de Wagner dos Santos Carneiro, o Waguinho (União Brasil-RJ), esposo de Daniela. Uma é irmã de Pagniez e o outro é o pai do bombeiro. Eles tiveram suas nomeações nos anos de 2021 e 2022, após a prisão do terceiro-sargento.

Márcio foi vereador em Belford Roxo e denunciado pelo Ministério Público, acusado da autoria de um homicídio e de ser o líder de uma milícia que atuava na região. Uma foto onde aparece Daniela, seu esposo Waguinho e Pagniez com data de 2019 foi publicada nas mídias sociais do criminoso.

FÁBIO AUGUSTO DE OLIVEIRA BRASIL, O FABINHO VARANDÃO

Daniela Carneiro e Fabinho Varandão Foto: Reprodução / Facebook

Já Fabinho Varandão é réu na justiça acusado de comandar milícia de TV e internet e a comercialização de gás de cozinha em dez bairros do município de Belford Roxo. Ele apoiou a candidatura de Daniela quando ela concorreu ao cargo de deputada federal, em setembro de 2022.

O miliciano participou de caminhadas, eventos em clubes e de comício. De acordo com o Ministério Público do Rio de Janeiro, todas essas atividades se deram em áreas dominadas pelo seu grupo paramilitar.

– Orgulho em dizer que a nossa querida deputada federal Daniela do Waguinho foi anunciada como a nova ministra do Turismo pelo nosso presidente Lula – comemorou Fabinho em uma rede social.

A juíza Alessandra da Rocha Lima Roidis, da 1ª Vara Criminal de Belford Roxo, diz que Varandão exerce amplo domínio na região.

– Imagens de câmera de segurança revelam que Fabinho Varandão impõe o terror no município, pois circula armado na região e conta com proteção de seguranças – destacou a magistrada.

Fabinho foi preso em dezembro de 2018 numa operação de Polícia Civil e do MP-RJ. No momento da prisão, policiais apreenderam três armas, um colete à prova de balas e R$ 70 mil em espécie. Ele foi autuado por extorsão e porte ilegal de arma de fogo.

Solto em julho de 2019, Fabinho concorreu às eleições no município e foi reeleito o vereador mais votado de Belford Roxo, em 2020, fazendo campanha junto ao esposo de Daniela, Wagner Carneiro, o Waguinho. Mesmo debaixo de muitas acusações, Varandão ganhou vários cargos na prefeitura após a reeleição.

Desde o ano de 2021 foi nomeado pelo prefeito: secretário de Defesa Civil, da Pessoa com Deficiência e, por último, Ciência e Tecnologia.

JURACY ALVES PRUDÊNCIO, O JURA
A ministra também foi acusada de ter feito campanha ao lado do miliciano e ex-policial militar Juracy Alves Prudêncio, conhecido como Jura. Ele, que seria cabo eleitoral de Daniela, já foi condenado por homicídio.

Daniela Carneiro e Juracy Prudêncio Foto: Arquivo Pessoal

Leia também1 Freixo minimiza envolvimento de ministra com miliciano
2 "Inimigos querem me queimar", diz ministra do Turismo
3 Ministra contratou empresa envolvida em suposto caixa 2
4 Irmã de ministra ganhou carro em troca de contrato, aponta MP
5 Ministra mantém conexão com família de miliciano, diz jornal

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.