Leia também:
X Bolsonaro anuncia ida à Rússia e diz que Putin é “conservador”

3ª via se diz contra reeleição. Para Ciro, dispositivo é ‘tragédia’

Fim do sistema também é defendido por Moro, Doria, Tebet, Alessandro Vieira e Luiz Felipe d'Ávila

Pleno.News - 27/01/2022 13h20 | atualizado em 27/01/2022 15h36

Ciro Gomes
Ciro Gomes Foto: Câmara dos Deputados/Claudio Andrade

O pré-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) voltou a defender o fim da reeleição para presidente. Segundo o ex-ministro, o dispositivo é uma “tragédia” para a democracia brasileira e extingui-lo seria uma forma de gerar segurança para a aprovação de reformas.

– As reformas serão propostas todas no primeiro semestre, e eu vou oferecer aos políticos [caso vença a eleição] o fim da minha própria reeleição para que eles não tenham medo de que, acertando a mão, eu queira ser beneficiado por uma reeleição, que é uma tragédia no Brasil – afirmou Ciro em entrevista ao apresentador José Luiz Datena na segunda-feira (24).

Ciro não é o único a condenar o instrumento. Além dele, Sergio Moro (Podemos), João Doria (PSDB), Simone Tebet (MDB), Alessandro Vieira (Cidadania) e Luiz Felipe d’Ávila (Novo) defendem um único mandato para o chefe do Poder Executivo.

No evento de sua filiação ao Podemos, em novembro do ano passado, Moro disse que a reeleição é uma experiência fracassada no Brasil.

– O presidente, assim que eleito, e eu vi isso, começa a se preocupar mais com a reeleição do que com a população. Está em permanente campanha política – afirmou em referência ao período em que foi ministro da Justiça do governo Bolsonaro.

O presidenciável João Doria argumenta que o dispositivo leva os governos a aprovar medidas irresponsáveis na busca pelo segundo mandato, embora ele pondere que a reeleição ajudou o país a se estabilizar macroeconomicamente e a consolidar o Plano Real nos anos 1990.

Simone Tebet segue o mesmo raciocínio e acredita que não haveria políticas fiscais e econômicas irresponsáveis no ano pré-eleitoral se a reeleição acabasse.

Na avaliação do pré-candidato do Novo, Felipe d’Ávila, o instrumento “em si” não é o problema, mas “foi desvirtuado pela maneira inescrupulosa de manipulação do poder”.

O assunto é menos frequente nas declarações dos candidatos fora da “terceira via”. O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não tem a extinção do dispositivo como uma de suas promessas, mas já disse no passado ser contra a renovação do mandato.

Em 2007, um ano após ser reeleito, Lula afirmou que “sempre foi contra a reeleição” no programa semanal de rádio que o governo mantinha à época, Café com o Presidente.

– Acontece que tem o instituto da reeleição, e eu sou um presidente reeleito; portanto, eu não posso agora dar palpite – disse Lula na época.

Procurada, a assessoria do pré-candidato ainda não se manifestou sobre a posição do petista sobre o tema atualmente. O presidente Jair Bolsonaro (PL) chegou a defender o fim da reeleição durante sua campanha em 2018, mas não levou a proposta adiante em sua gestão.

*AE

Leia também1 Bolsonaro anuncia ida à Rússia e diz que Putin é “conservador”
2 Asaph Borba lamenta morte de Ferber: 'Deixa um legado'
3 Loja de roupas proíbe entrada de homens após casos de assédio
4 Eleições: TSE irá coibir disparos em massa no WhatsApp
5 TSE define tempo que cada sigla terá para propaganda partidária

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.