Leia também:
X PF conclui inquérito do Museu Nacional e isenta gestores

2022: Moro vê Huck, Doria e Mandetta como “bons nomes”

Ex-ministro também não descartou possível candidatura no próximo pleito

Paulo Moura - 06/07/2020 14h07 | atualizado em 06/07/2020 14h09

Ministro da Justiça, Sergio Moro Foto: Cleia Viana/Câmara dos Deputados

O ex-ministro Sergio Moro afirmou, em entrevista concedida para a GloboNews no domingo (5), que considera os nomes de Luciano Huck, João Doria e Luiz Henrique Mandetta como bons candidatos para as eleições presidenciais de 2022. Na ocasião, ele também não descartou que seja um possível concorrente no próximo pleito.

– Vão ter vários candidatos lá em 2022, têm bons nomes, o próprio presidente vai, pelo jeito, tentar a reeleição, mas têm outras pessoas que podem ser o ‘versus Bolsonaro’ que podem desempenhar esse papel (de adversário político). Tem o Luciano Huck, tem o governador de São Paulo, João Doria, tem o ex-ministro Mandetta – disse.

Perguntado por qual motivo teria elencado apenas candidatos que não fazem parte do grupo dos aliados ao Partido dos Trabalhadores (PT), Moro afirmou que se identifica mais com os ideais políticos de centro-direita e disse que o PT tem dificuldade em assumir os erros.

– Vou fazer uma crítica construtiva ao Partido dos Trabalhadores. Eu acho que é muito difícil você avançar se você não olhar para trás e não corrigir os seus erros. O PT tem esse lado deles que simplesmente acham que não aconteceu o mensalão, que não houve os crimes na Petrobras. Então, uma forma de recuperar a credibilidade é você reconhecer o que fez de errado no passado – declarou.

Leia também1 Marisa Lobo diz que Renato Feder é um "Moro piorado"
2 Morre Leonardo Villar, ator do filme O Pagador de Promessas
3 Julgamento de Dallagnol por PowerPoint de Lula é adiado
4 Weber: Apreensão de menores deve continuar na pandemia
5 Cultura do cancelamento faz gamer cometer suicídio

WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.