Leia também:
X STF fala em pacto com Bolsonaro para retomar diálogo, diz CNN

Policial é condenado a 22 anos por morte de Eliza Samudio

Agente aposentado sequestrou a ex-modelo em 2010

Gabriela Doria - 26/08/2021 22h17 | atualizado em 27/08/2021 10h10

Policial aposentado José Lauriano de Assis Filho Foto: Reprodução TV Globo

O policial civil aposentado José Lauriano de Assis Filho, o Zezé, foi condenado a 22 anos de prisão pela morte da ex-modelo Eliza Samudio. Ele é acusado de ter sequestrado a amante do ex-goleiro Bruno Fernandes, no dia 4 de junho de 2010. A sentença foi dada nesta quinta-feira (26).

Apesar da condenação, Zezé poderá responder em liberdade até que seu recurso seja julgado.

De acordo com o Ministério Público de Minas Gerais, o policial foi responsável por raptar Eliza e Bruninho, na época com 4 meses. Para isso, Zezé contou com a ajuda do primo de Bruno, Jorge Luiz Lisboa Rosa. O MP informou que o crime foi acertado entre o ex-goleiro e seu amigo de infância, Luiz Henrique Romão, o “Macarrão”.

A sessão começou na quarta-feira (25) e ouviu 11 testemunhas, entre elas Bruno e Macarrão, que depuseram por videoconferência. O primeiro dia de julgamento durou 13 horas e terminou por volta das 23h, sendo retomado nesta quinta (26), às 9h30.

Ainda em 2013, Bruno Fernandes foi sentenciado a mais de 22 anos de prisão pela morte e ocultação do cadáver de Eliza. O sequestro e cárcere privado de Bruninho também pesaram na sentença. Atualmente, ele e seu comparsa, Macarrão, cumprem pena em regime semiaberto.

O corpo da ex-modelo nunca foi encontrado.

Leia também1 Schmütz tenta lacrar contra cristãos, mas leva invertidas
2 Cantor sertanejo Sérgio Reis receberá homenagem da Alerj
3 Olavo "rebate" a filha e prova que está vivo com foto
4 João de Deus terá que cumprir pena em regime fechado
5 Erasmo Carlos revela que testou positivo para Covid-19

Siga-nos nas nossas redes!
WhatsApp
Entre e receba as notícias do dia
Entrar no Grupo
Telegram Entre e receba as notícias do dia Entrar no Grupo
O autor da mensagem, e não o Pleno.News, é o responsável pelo comentário.